A concessionária Econorte, que administra trechos de rodovias no Norte do Paraná, aguarda uma resposta do Departamento de Estradas de Rodagem (DER) do Paraná em relação ao aumento de tarifas nas praças gerenciadas pela concessionária.

Na segunda-feira, a Econorte foi notificada pelo DER, que exigiu que a empresa voltasse a praticar os preços do dia 28 de fevereiro deste ano, conforme decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ), em Brasília. No mesmo dia, a Econorte protocolou um ofício junto ao DER, demonstrando que a decisão do órgão de manter a tarifa causaria um desequilíbrio na equação financeira prevista em contrato.

O documento, porém, foi registrado no DER de Londrina e, segundo a assessoria de imprensa da Secretaria dos Transportes, a chegada do malote a Curitiba está prevista para esta quinta-feira. Logo que o DER seja notificado, o ofício será analisado por sua diretoria-geral.

Segundo o diretor-presidente da Econorte, Gustavo Müssnich, caso a decisão seja mantida pelo DER, deve ocorrer uma de duas possibilidades: uma nova pressão por aumento tarifário ou a redução de benefícios nas estradas. “Em qualquer um dos casos, quem sai perdendo é a sociedade”, explica Müssnich.

A DER ainda não informou quando vai dar uma resposta ao ofício protocolado. Caso o parecer seja negativo, a Econorte pretende recorrer a Justiça para garantir o aumento que, segundo a empresa, esta previsto em um aditivo contratual assinado em 2002, no último ano da administração do governador Jaime Lerner.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui