SÃO LUÍS – Relatório divulgado nesta semana pelo Ministério da Saúde informa que 150 mil brasileiros dirigem após consumo abusivo de álcool. Neste quesito, em São Luís, o quadro é digno de alerta às autoridades. Um total de 3.566 ludovicenses declararam dirigir após consumir álcool. Deste montante, 38,7% são homens, o maior índice do país. As motoristas da capital maranhense ficaram no patamar dos 10,1%, o sexto no ranking nacional.

As informações, colhidas em 2007, são do relatório intitulado “Vigilância e monitoramento de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico”, também chamado de Vigitel. A pesquisa compara os dados de todas as capitais brasileiras, incluindo o Distrito Federal.

Do relatório, verifica-se que em Teresina (PI) motoristas que reconheceram que bebem álcool e dirigem totalizaram 1.766 pessoas, das quais 36% são do sexo masculino. Em Belém (PA), o total foi de 4.277 motoristas. Em Fortaleza (CE), registrou-se 4.528 beberrões ao volante. Em São Paulo (SP), o número de motoristas que reconheceram beber álcool e dirigir foi de 40.304 (21% do sexo masculino).

A propósito, o Vigitel consiste na realização e análise de entrevistas por telefone à população com 18 anos ou mais, nas capitais e Distrito Federal. Anualmente, são realizadas 54 mil entrevistas, cerca de 2 mil por cidade estudada. O resultado de todo o inquérito do Vigitel em 2007, que monitora essencialmente doenças crônicas não-transmissíveis, será divulgado em março deste ano. O sistema é realizado pelo Ministério da Saúde, com a colaboração do Núcleo de Pesquisas Epidemiológicas em Nutrição e Saúde da Universidade de São Paulo.

Pouca fiscalização

São Luís, atualmente, tem uma frota de 204.064 veículos, segundo o Departamento Estadual de Trânsito (Detran). Em 2007, o órgão registrou 71.770 infrações, das quais apenas 29 foram aplicadas a pessoas flagradas dirigindo sob influência de álcool, em nível superior a seis decigramas por litro de sangue, ou de qualquer substância entorpecente ou que determine dependência física ou psíquica.

As autoridades de trânsito em São Luís preocuparam-se, em 2007, mais com os motoristas que avançaram o sinal vermelho do semáforo ou da parada obrigatória. Foram 20.228 infrações do gênero registradas. Também houve 19.334 infrações por trânsito em velocidade superior à máxima permitida para o local, medida por instrumentos ou equipamento hábil, em rodovias, vias de trânsito rápido, vias arteriais e demais vias quando a velocidade for superior à máxima em até 20%.

A fiscalização de trânsito aplicou 1.257 multas, no ano passado, por estacionamento de veículo no passeio ou sobre faixa destinada a pedestre, sobre ciclovia ou ciclofaixa, bem como nas ilhas, refúgios, ao lado ou sobre canteiros centrais, divisores de pista de rolamento, marcas de canalização, gramados ou jardim público.

A preocupação também incidiu sobre aqueles que dirigem o veículo utilizando-se de fones nos ouvidos conectados a aparelhagem sonora ou de telefone celular. Foram 1.056 infrações deste tipo. Também houve 886 infrações registradas de veículos parados sobre a faixa de pedestres na mudança de sinal luminoso.

Perigo

Segundo dados do relatório Vigitel, divulgado pelo Ministério da Saúde, todos os dias, estima-se que 150 mil brasileiros, homens e mulheres, dirigem após ingerirem de quatro a cinco doses de bebida alcoólica. Estatísticas como essa levaram o Governo Federal a editar, segunda-feira (21), medida provisória que restringe a venda de bebidas alcoólicas em estradas.

O governo também vai encaminhar ao Congresso Nacional, em regime de urgência, projeto de lei que altera o conceito de bebida alcoólica para aquela que contiver 0,5° (escala Gay-Lussac) ou mais de concentração para efeito de propaganda desses produtos. Com isso, entram na classificação as cervejas, os ices, os coolers, a champanhe e o vinho.