Um tapete à disposição – BR-158, de Santa Maria a Rosário do Sul, vai ser oficialmente liberada hoje, em seus 114 quilômetros

A partir de hoje, a Região Central ganha um novo caminho à fronteira com o Uruguai. Depois de mais de 30 anos de espera, a BR-158 terá o tráfego liberado nos 114,7 quilômetros entre Santa Maria e Rosário do Sul.

Para comemorar a conclusão das obras, uma carreata sairá de Rosário, no trevo da BR-158 com a BR-290, às 15h. Uma hora depois, em Santa Maria, está marcado o tão esperado “ato de liberação”, com a presença de prefeitos da região e representantes do Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes (Dnit). A cerimônia ocorrerá no Posto Rodalex, na 158, em frente à Marquetto Agropecuária.

Na prática, muita gente já vinha usando a estrada para ir ou voltar da Fronteira. Os cerca de 500 metros de asfalto que faltavam foram concluídos na semana passada. Antes disso, havia desvios por estradas de chão que viravam atoleiros em dias de chuva, em Dilermando de Aguiar. Agora, a rodovia está com o pavimento liso e com as sinalizações horizontal e vertical completas.

O motorista Tiago Pereira do Amaral, 24 anos, fez ontem a sua estréia na BR-158. Ele saiu de Santa Maria para levar gás natural a Rosário do Sul e aprovou o que viu:

– Que beleza de estrada, não? Agora vai ficar bem melhor.

Ontem, um dia antes da liberação oficial, já era possível ver um grande movimento de carros e caminhões, especialmente nas primeiras horas da manhã. Esses veículos encontraram pistas e acostamentos largos, além de tachões que ajudam a visualização à noite. As placas também estão lá para orientar o motorista quanto a distâncias, velocidade, localização e ultrapassagens. Faltam apenas alguns retoques, que estão sendo feitos pela empreiteira Sultepa.

Só o que não dá para achar na 158 são postos de combustíveis, oficinas ou lugares para fazer um lanche. Em quase toda a extensão da rodovia, há apenas propriedades rurais. A comunicação por celular também é precária, especialmente no trecho que passa por Dilermando de Aguiar e São Gabriel. Por isso, antes de viajar, é bom tomar todas as precauções.

Outro cuidado é com os animais na rodovia. Como a BR-158 corta uma zona rural, não são raros os casos de cachorros, cavalos, ovelhas e vacas soltos na pista. Mesmo assim, ontem havia muitos motoristas que excediam os 80 km/h de velocidade máxima permitida.

– Essa questão preocupa. Durante o verão, a estrada também deve ser bastante usada por turistas argentinos. Agora, com a abertura da rodovia, vamos intensificar a fiscalização, principalmente com o uso de radar – avisa o inspetor Adão Lemos, chefe da Delegacia da Polícia Rodoviária Federal (PRF) de Santa Maria, que dividirá o cuidado da rodovia com a unidade da PRF em Rosário do Sul.

Tranqüilidade – Com a abertura da 158, será possível conhecer melhor o contraste entre o urbano e o rural. Ontem pela manhã, sete tropeiros cavalgavam ao lado da rodovia para buscar gado. Antes do movimento de veículos, eram necessários só dois, contaram os integrantes do grupo.

O agito não tirou a tranqüilidade do aposentado Oneron Oliveira Martins, 62 anos, que ontem conduzia um terneiro por uma corda, no acostamento:

– Ficou muito lindo. Só vai trazer progresso para a região.

Desde a década de 70, falava-se na construção da BR-158. Ela começou na década de 80 e parou inúmeras vezes, para ser retomada em 2004. Com o ingresso da obra no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), em 2007, não houve mais interrupções. Segundo o Dnit, o investimento total foi de R$ 122 milhões.