A estrada que passa pela barragem da Corsan, na localidade do Km 7, no interior do município de Erechim será fechada definitivamente na próxima semana. A informação foi confirmada ontem pelo secretário de Desenvolvimento Econômico, José Rodolfo Mantovani, e vem atender à recomendação cautelar feita pelo Ministério Público de Erechim depois do acidente com o ônibus escolar, que, em setembro de 2004, resultou na morte de 17 crianças e adolescentes e uma monitora. A prefeitura se comprometeu e providenciou na via alternativa – VRS 802 – a construção de uma ponte com condições de trafegabilidade – inclusive para cargas pesadas e máquinas agrícolas –, o alargamento da estrada e um trevo de acesso a esta estrada na saída para Áurea. “As exigências para que se pudesse atender a uma recomendação do MP foram cumpridas.

A infra-estrutura necessária para aplicação da medida está pronta e procederemos a interdição física do local na próxima semana. Todos os moradores daquela localidade já foram notificados pela prefeitura e informados que a partir do dia 16 de agosto o trânsito de pessoas e veículos será interrompido na estrada que passa pela barragem da Corsan”, afirmou Mantovani. Na semana passada o Ministério Público de Erechim, através da Promotoria de Justiça Especializada, respondeu oficiou da prefeitura que questionava de que forma essa interdição deveria ser feita, se por placas indicativas ou obstrução física da passagem.

O promotor Mauricio Sanchotene de Aguiar se manifestou no sentido de que o município, que tem poder de polícia administrativa, deveria adotar todas as providências necessárias para a obstrução física da estrada, podendo também se utilizar de sinalização. Apesar de não determinar uma data de fechamento da estrada, o MP alertou para o período de readequação dos moradores do Km 7, que deve ser respeitado. Conforme o secretário Mantovani, a obstrução da física da estrada será feita com extensão de cerca e placas de sinalização.