Uma reivindicação de mais de 10 anos começa a se tornar realidade. A governadora Wilma de Faria visitou na quarta-feira passada, em Mossoró, as obras de implantação da chamada Estrada do Melão – assim denominada por cortar inúmeras fazendas de produção de melão. A obra esperada há mais de uma década pelos fruticultores da região mossoroense. “Temos uma perda de 8% em razão das más condições em que o nosso melão é transportado hoje e basta um arranhão para que o produto seja rejeitado no mercado externo”, salienta Francisco de Paula Segundo, presidente da comissão Executiva de Fitossanidade do Rio Grande do Norte e produtor na região. De acordo com Segundo, a nova rodovia proporcionara uma economia da ordem de 5% aos fruticultores. Por aqui, ressalta ele, passa 40% da economia do Estado, numa referencia a exportação do produto, um dos principais da pauta de exportação do Estado.

“Sabemos da importância dessa estrada para os fruticultores dessa região, por isso é uma das nossas prioridades. Vamos investir até 2010 mais de R$ 250 milhões em construção e reconstrução de estradas”, disse a governadora Wilma de Faria. Segundo o diretor-geral do Departamento Estadual de Estradas de Rodagens (DER), responsável pela execução da obra, a construtora garantiu para o final de janeiro o término dos serviços deste primeiro trecho, com 18,4 km de extensão, de um total de 75 km. Nesta primeira etapa da rodovia, que vai da RN-013, em Tibau, até a BR-304, estão sendo investidos R$ 4,7 milhões. Os recursos são do Governo do Estado.

A implantação da rodovia foi divida em trechos. O segundo trecho, com 35 km, vai da BR-304 â RN-015, em Baraúna, e receberá investimentos de quase R$ 13 milhões. Já o terceiro e ultimo trecho terá 21 km e vai da RN-015 à BR-437, no Ceará. A governadora Wilma de Faria destacou a colaboração dos empresários locais na questão das desapropriações para que esta obra saísse mais rapidamente. “Foi uma contribuição importante, que fez com que a obra saísse com mais facilidade”, disse. A Estrada do Melão beneficiará nesta primeira fase três municípios da região: Mossoró, Baraúna e Tibau. Em sua totalidade – 75 km de extensão – demandará investimentos de R$ 25 milhões.