A maior parte dos trechos precários das estradas goianas está nas rodovias federais. De acordo com o Guia Rodoviário 2004, elaborado pela equipe do Guia 4 Rodas, não é possível trafegar a uma velocidade superior a 60 quilômetros por hora em 793 quilômetros de rodovias em Goiás.

Esse total indica um aumento de cerca de 380 quilômetros de trechos ruins em relação ao apontado na edição 2003 da publicação. Reportagem do POPULAR publicada no dia 9 mostrou que as chuvas haviam danificado 11% da malha viária federal em Goiás e apenas 1,13% da estadual.

Mas a coordenação regional do Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes (Dnit) discorda das informações do Guia, alegando que a situação das rodovias federais, de um modo geral, melhorou no ano passado em comparação com 2002. Para o coordenador do Dnit em Goiás e no Distrito Federal, Riumar Santos, houve uma recuperação notável na maior parte das BRs. Segundo ele, apenas 4 das 11 rodovias federais que cortam o Estado tiveram queda no seu padrão de qualidade. Riumar Santos considera que foi realizado um bom trabalho, dando melhores condições de tráfego às BRs 050, 060, 364, 414, 452, 158 e ao trecho entre Anápolis e Itumbiara da BR-153.

Com a diminuição das chuvas, o Dnit intensificou o trabalho de recuperação. Na BR-158, está prevista para a próxima semana a conclusão das operações no trecho entre Aragarças e Piranhas, que teve as condições de trafegabilidade melhoradas, conforme o órgão, graças a um convênio com a Agência Goiana de Transportes e Obras (Agetop). A BR-414, entre Anápolis e Cocalzinho, também passou por obras, ficando bem sinalizada, segundo o Dnit.

Uma das rodovias mais problemáticas do Estado, a BR-364 teve 45 quilômetros totalmente restaurados no trecho entre Portelândia e a Serra da Urtiga, restando 22 quilômetros para a recuperação completa do percurso até Santa Rita do Araguaia, na divisa de Goiás com o Mato Grosso. O Dnit prevê o início das obras nesse trecho para os primeiros dias de maio.

O prefeito de Santa Rita do Araguaia, Walquir Vieira, confirma que a BR-364 apresentou melhorias no último ano. Além da restauração de 45 quilômetros, o prefeito ressalta que foi realizada uma operação tapa-buracos nos 22 quilômetros restantes, que, apesar das chuvas constantes, garantiu uma melhor trafegabilidade no trecho.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui