O motorista paranaense não precisa se preocupar com interdições de estradas dentro do estado, mas ao cruzar fronteiras em direção aos estados que enfrentam problemas com chuvas, a atenção deve ser redobrada.
Ontem, oito estradas federais apresentavam restrições, por conta das recentes chuvas que atingiram os Estados de Minas Gerais, Santa Catarina e Rio de Janeiro, segundo dados do Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes (DNIT) e da Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Em Santa Catarina, há desvios nos quilômetros 63 e 86, em Blumenau e Rodeio, respectivamente, e nos quilômetros 31 e 36,7 da BR-282, em Águas Mornas. Em todos esses pontos, segundo a PRF, parte da pista cedeu. No Rio de Janeiro, a BR-356 permanece totalmente fechada A estrada continua submersa por conta do transbordamento de um rio na altura dos municípios de Cardoso Moreira, Itaperuna e Italva.

Ainda no Rio, quedas de barreiras obstruíram parte da BR-354, entre os quilômetros 13 e 19. Equipes do DNIT de Brasília e do Rio de Janeiro fazem vistoria no local. A área já foi sinalizada As equipes colocaram pedras para conter a erosão até a obra definitiva. O trânsito flui nos dois sentidos, sendo que em alguns trechos segue em meia pista, com sinalização. O DNIT recomenda cautela aos usuários da rodovia, situada em região serrana.
Na BR-101, que também sofreu deslizamentos de terra nas imediações de Angra dos Reis e Paraty, o trânsito flui normalmente nas duas pistas, com acostamento ocupado pelo material que deslizou.

Em Minas, funcionários do DNIT trabalham para recuperar a pista da BR-494, no quilômetro 90, entre as cidades de Carmo da Mata e Oliveira. As fortes chuvas comprometeram a estabilidade do terreno no trecho. O tráfego continua fluindo pelo desvio provisório no município de Cláudio, mas o percurso aumenta em 50 quilômetros. Na BR-116, no quilômetro 813, em Muriaé, os veículos seguem pelo acostamento. Na BR-369, no quilômetro 173,9, em Alfenas, o trânsito segue em meia pista.