Publicada em dezembro de 2007 e prevista para entrar em vigor em 1º de janeiro de 2009, a portaria 272 do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), que trata do novo lacre nas placas de veículos, deve ser prorrogada a pedido da Associação Nacional dos Detrans (AND). A entidade não se pronuncia sobre o assunto oficialmente, mas o motivo é que a fabricante do produto precisa ser escolhida, conforme a lei, por licitação e apenas uma empresa, a ELC Produtos de Segurança Indústria e Comércio, com sede em Paraíba do Sul, no Rio de Janeiro, está homologada pelo órgão do governo federal.

A associação defende que o Conselho Nacional de Trânsito (Contran), vinculado ao Denatran, aponte outras concorrentes que possam participar do certame ou homologue outras empresas. O Contran ainda não se manifestou sobre o pedido da AND, o que deve ser feito apenas na próxima semana. Enquanto a resposta não chega, motoristas temem que a nova regra pese no bolso. A expectativa é de que o lacre, hoje em R$ 10, aumente cerca de quatro vezes, passando para R$ 40.

O dispositivo valerá apenas para os veículos novos, os que mudarem de município e os que precisarem serem lacrados novamente, por exemplo, devido a perda ou defeito do produto. O novo lacre terá um código numérico para evitar ou pelo menos dificultar o furto e a clonagem da frota, pois conterá dados importantes, como o fabricante da unidade e o modelo do automotor.