O feriadão de Natal tem sido trágico nas estradas federais que cortam Santa Catarina. Ontem, um capotamento na BR-101, em Sangão, resultou na morte de uma família do Rio Grande do Sul. Morreram o motorista Ayorton Soares, 82 anos, a mulher dele, Ana Terezinha Brandão Soares, 75 anos, e João Antonio de Carvalho Gonçalves, 20 anos, namorado da neta do casal. A família seguia para Florianópolis. Desde o último sábado, quando teve início a Operação Natal, até o fim da tarde dessa sexta-feira, 17 pessoas haviam perdido a vida em acidentes. Em 2007, foram 22 mortes.

Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), Soares dirigia um Corsa, com placas IKK- 9835, de Porto Alegre, quando perdeu o controle do veículo, saiu da pista, e despencou do viaduto de uma altura de aproximadamente oito metros, caindo em um barranco às margens da estrada. O acidente ocorreu no quilômetro 356,4 da rodovia, por volta de 12h25min. De acordo com o relatório divulgado pela PRF, todos os ocupantes tiveram morte instantânea.

Destino era Florianópolis

Patrulheiros do posto rodoviário de Tubarão, que atenderam a ocorrência, informaram que a família Soares saiu de Porto Alegre e viajava em dois veículos. A neta do casal estava em um automóvel que trafegava na frente do carro dos avós. No momento do acidente, segundo a PRF, o fluxo de veículos na BR-101 era intenso. O movimento provocou congestionamento de 25 quilômetros entre Tubarão e Laguna. O trânsito também ficou lento em Palhoça, no início da pista simples, no quilômetro 216, nos dois sentidos da rodovia.

A Operação Natal da Polícia Rodoviária Federal termina neste sábado, à meia-noite. A maior preocupação da PRF é com a BR-101, cujo fluxo de veículos deve aumentar em até 20%, podendo chegar a picos de 50% devido à procura de turistas pelas praias do litoral catarinense. No trecho Sul da rodovia, a preocupação é com as ultrapassagens em locais proibidos. Em Santa Catarina, mais de 540 patrulheiros foram mobilizados para trabalhar em escalas de plantões.