Fundada na era desenvolvimentista de Juscelino Kubitschek, montadora produziu o 1º motor Chevrolet no país

A General Motors de São José dos Campos completa hoje 45 anos de fundação na cidade. A fábrica foi inaugurada no dia 10 de março de 1959 e se transformou em um dos maiores pólos de produção de veículos do país.

A unidade foi inaugurada pelo então presidente da República Juscelino Kubitschek. A abertura da fábrica de São José é considerada histórica, pois da sua linha de produção saiu o primeiro motor Chevrolet fabricado no Brasil.

A chegada da fábrica ocorreu em um período em que São José vivia um verdadeiro “boom” econômico embalado pelo perfil desenvolvimentista do governo Juscelino. Várias multinacionais estavam se instalando na cidade à época.

A norte-americana GM investiu pesado na fábrica de São José, que possui atualmente um efetivo de 8.000 funcionários e uma área total de 2,7 milhões de metros quadrados.

A fábrica de São José produz hoje grande parte dos veículos da marca Chevrolet, incluindo o novo Corsa hatchback e sedã, a picape Montana e o utilitário esportivo Blazer.

A história da GM na região começou no início da década de 50 com a procura de um terreno junto à estrada de ferro Central do Brasil e no eixo São Paulo-Campinas ou São Paulo-Taubaté, para a construção da fábrica que iria produzir motores para caminhões.

A escolha e a compra do terreno à margem da via Dutra, em São José, ocorreu em 1953. O projeto de nacionalização da empresa foi aprovado em 1957. A meta era a fabricação dos caminhões Chevrolet HD médios e leves.

Atualmente, a GM tem capacidade instalada para produzir 680 mil unidades por ano no Brasil. Além de São José, a empresa tem complexos industriais em São Caetano do Sul e em Gravataí no Rio Grande do Sul.

PAIXÃO – A trajetória da GM em São José foi construída, em grande parte, pela paixão de seus funcionários pelo trabalho de produzir carros. Na época da implantação da empresa na cidade, houve grande dificuldade para se encontrar mão-de-obra especializada.

Muitos empregados foram trazidos da zona rural das cidades do Sul de Minas Gerais e de fábricas do ABC Paulista.

O ex-funcionário da GM José Cândido Fagundes Tiosso, 57 anos, dedicou 26 anos de sua vida à empresa. Aposentado, ele disse que se sente orgulhoso de ter feito parte da história da empresa na região.

“Sinto saudades dos amigos e da fábrica. Era muito bom trabalhar na GM. Adorava participar da fabricação de veículos”, disse Tiosso.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui