Um novo tipo de fraude foi detectado pelo Detran (Departamento Estadual de Trânsito) –motoristas estão transferindo a pontuação de multas de trânsito para a carteira de habilitação de pessoas que já morreram. Assustadas, as famílias dos motoristas mortos procuraram o órgão.

A Delegacia de Crimes de Trânsito está investigando casos. A polícia procura os nomes de quem teria levado a multa e indicado os motoristas falecidos para receberem a pontuação na carteira.

Os criminosos devem ser indiciados por falsidade ideológica e, se condenados, poderão pegar de um a cinco anos de cadeia, diz o delegado Rafael Rabinovici, da Divisão de Habilitação do Detran.

O problema acontece por causa de uma falha no sistema do Detran –a falta de atualização. O órgão tem 13 milhões de motoristas –desses, 15 mil têm mais de cem anos. Mesmo aqueles que não dirigem mais continuam inscritos.

Para resolver o problema, a diretoria do Detran solicitou anteontem à Prodesp (estatal de processamento de dados) que bloqueie o cadastro de motoristas com mais de 85 anos e que não renovam a habilitação há dez anos.

“Dessa maneira, podemos receber um alerta quando a carteira dessas pessoas receber pontuação e fazer um rastreamento”, diz o delegado Rabinovici.

As vítimas devem procurar o Ciretran (Circunscrição Regional de Trânsito) de sua cidade ou o Detran com a carteira do morto e o registro de óbito. Em um dos casos investigados pela polícia, o dono da carteira morreu em 2001. Nos anos seguintes, recebeu 25 multas –mais de 140 pontos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui