Londrina – O diretor-geral do Departamento de Estradas de RodagemDER), Rogério Tizzot, anunciou que o governo do Paraná irá implantar uma praça de pedágio entre Maringá e Francisco Alves (97 km a sudoeste de Umuarama). Segundo Tizzot, o pedágio cobriria os gastos de restauração e manutenção de um trecho de 160 km da PR-323.

A intenção do governo é iniciar a cobrança a partir do ano que vem. O projeto prevê a criação de um serviço de atendimento ao usuário semelhante ao praticado pelas seis concessionárias que atuam no Estado através de uma parceria com o Serviço Integrado de Atendimento ao Trauma em Emergência (Siate).

O anúncio da criação de uma nova praça de pedágio gerida pelo governo causou surpresa ao presidente regional da Associação Brasileira das Concessionárias de Rodovias (ABCR), João Chiminazzo Neto. “Até pouco tempo o governo defendia que tinha recursos suficientes no orçamento para manter toda a malha não-pedagiada como um tapete e agora pretendem cobrar para manter a rodovia. O governo também dizia que o Paraná não suportava o pedágio, e agora pretende criar uma nova praça. A inconstância no discurso do governo causa perplexidade”, criticou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui