Servidores do DNIT (Departamento Nacional de Infra-Estrutura e Transporte) fizeram ontem panfletagem em Rio Brilhante para informar a população sobre a greve do órgão, iniciada no dia 6 de outubro.

De acordo com a categoria, grande parte da população não tem conhecimento da paralisação, já que o movimento não atinge diretamente o atendimento à população. Em contrapartida, obras e processos de licitação estão interrompidos em todo o Estado.

Segundo Dilço Martins, membro da comissão de negociação em Mato Grosso do Sul, a panfletagem seguiu orientação nacional. Em outros pontos do país, o movimento aconteceu na terça-feira. “Fizemos uma operação para verificar como se comporta o trânsito pesado nas rodovias federais, e aproveitamos também para fazer esta panfletagem”, explica.

Segundo ele, foram abordados pelo menos 600 motoristas, que receberam folhetos explicativos sobre o trabalho do DNIT em todo o país. “Estamos divulgando a greve para que as pessoas entendam o trabalho do órgão e os prejuízos gerados a partir da paralisação”, afirma.

A greve foi deflagrada em todo o país porque o governo teria descumprido acordo estabelecido com a categoria, através da Medida Provisória 441. A categoria cobra reestruturação do órgão, contratação de 300 fiscais para MS e equiparação com a tabela salarial da ANTT (Agência Nacional de Transporte Terrestre), onde há divergência salarial de até 135% para alguns cargos técnicos.

No Mato Grosso do Sul, a greve do DNIT teve impacto direto no andamento de obras federais e processos licitatórios. Pelo menos 27 obras, incluindo empreendimentos do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), estão interrompidas. Além das obras, pelo menos oito licitações, orçadas em R$ 120 milhões, também estão interrompidas.

A categoria já aceitou suspender a paralisação caso o governo sinalize algum acordo, o que até agora não aconteceu. A categoria reclama da sobrecarga de trabalho – além das rodovias federais, o órgão também é responsável por hidrovias e ferrovias. O DNIT foi criado em 2001 em substituição ao DNER (Departamento Nacional de Estradas de Rodagem).