A Honda está convocando proprietários do recém lançado FIT a comparecer a uma concessionária ou oficina autorizada para verificar ou substituir a tubulação de freio dianteira esquerda. A empresa admite que há risco de acidente.
Apesar da importância do defeito, a montadora japonesa está utilizando poucos meios de comunicação para realizar a divulgação do Recall. “Foi uma opção da empresa não utilizar esse meio, uma vez que a divulgação está sendo feita por carta aos clientes, TV, jornais e rádio. O anúncio foi publicado hoje(sexta-feira) nos jornais O Estado de São Paulo, Folha de São Paulo, Correio Brasiliense e O Globo. Na rádio Jovem Pan (Brasil) estão previstas cinco inserções ao longo da programação e na TV Bandeirantes (Brasil), mais uma hoje(sexta-feira) no jornal da Band, às 19h45.”, esclareceu a assessoria de imprensa da Honda.
A veiculação de mídia impressa ficou restrita a dois estados e o distrito federal. A TV Globo e o SBT, primeiro e segundo lugar no Ibope, ficaram de fora da mídia utilizada para divulgação. A assessoria de imprensa da Honda admitiu que a empresa não enviou material para a imprensa divulgando o recall, como tem o hábito de fazer no momento de divulgar notícias sobre novos produtos da marca. Embora a assessoria de imprensa da Honda tenha informado na sexta-feira de que o Recall seria divulgado no website da Honda, a notícia do recall não aparecia no www.honda.com.br quando visitado por nossa redação nesta segunda pela manhã.
Para Rodolfo Alberto Rizzotto, autoro do livro” Recall: 4 Milhões de Carros com Defeito de Fábrica”, o recall do Honda Fit revela a caixa preta das empresas do setor. ” Há claramente intenção de utilizar o mínimo possível dos meios de comunicação. Tanto que a empresa não utiliza o seu relacionamento com a imprensa especializada para divulgar o recall. Caso realmente as empresas estivessem interessadas em informar ao público utilizariam essa arma que não tem praticamente custo.”
Para Rizzotto, outras montadoras também passaram a não divulgar para os veículos de comunicação os recalls que realizam. Somente prestam esclarecimentos quando solicitadas mas não enviam informações espontaneamente.
O DPDC (Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor), admitiu, através da sua assessoria de imprensa que a Portaria 789, que estabelece normas de conduta do recall deverá ser revista em breve, inclusive obrigando as empresas a informarem o número do chassis dos veículos que não compareceram ao recall.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui