Motoqueiros sem capacete provocaram dois acidentes. Dois estão feridos.

Os comuns acidentes envolvendo motos em Esperantina, 174 quilômetros ao norte de Teresina, voltaram a ter final trágico neste fim de semana. Foram dois acidentes com quatro mortes e dois feridos em menos de 10 horas na cidade. A imperícia é a principal causa das tragédias. Motoqueiros sem capacete ou habilitação para pilotar conduziam os veículos.

Na tarde de sábado, na rodovia estadual que dá acesso à Cachoeira do Urubu, Manoel dos Santos Sousa, que vinha para a cidade, tentou ultrapassar um carro e acabou se chocando com a moto de Nelson Queiroz Menezes. O primeiro, que é natural de Piracuruca e mora em Caraúbas, e o segundo, natural de Esperantina, andavam sem capacete. Os dois morreram na hora. Manoel não tinha habilitação.

As mortes deixaram chocado o delegado da cidade, Vicente de Paula. Os dois corpos ficaram mutilados, com várias lesões na cabeça. “Se estivessem com capacete estariam com lesões, mas provavelmente vivos”, declarou. Vicente de Paula diz que os acidentes são comuns e a fiscalização do Detran em Esperantina não funciona.

No outro acidente, duas motos colidiram frontalmente em uma estrada carroçal, por volta de 0h15min. A poeira pode ter atrapalhado a visibilidade dos condutores, mas uma tragédia poderia ter sido evitada com o uso do capacete e a habilitação para pilotar. Para aumentar o problema, Mauro César Magalhães conduzia duas pessoas na garupa de sua moto antes de colidir com Erandir da Silva. Os dois morreram na hora.

Os passageiros ficaram gravemente feridos e foram trazidos para Teresina. Uma foi reconhecida como Andréia, 15 anos, e um homem ainda não foi identificado. Os dois foram trazidos para Teresina ainda na madrugada.