Parceria deve ser utilizada em trechos que ficaram de fora da licitação em troca da cobrança do pedágio

Uma reunião ontem à tarde do Fórum Estadual de Transporte, realizada na sede da Federação de Transporte de Cargas de Santa Catarina (Fetrancesc), em Florianópolis, discutiu a duplicação do trecho Sul da BR-101, que vai de Palhoça (SC) a Passo de Torres, na divisa com o Rio Grande do Sul. Entre os assuntos discutidos estava a Parceria Público Privada (PPP), que pode ser utilizada em alguns trechos da rodovia que ficaram fora do processo de licitação, como Morro dos Cavalos, em Palhoça, Morro do Formigão, em Tubarão, e o acesso a Imaruí, em Paulo Lopes.

Nestes lugares, a tendência é de que as obras só saiam do papel com a garantia da cobrança de pedágio nos trechos. O governo Federal e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) estão em fase final de entendimentos. Há ainda nessas negociações a possibilidade de se realizar a cobrança de pedágio no trecho já duplicado. “Duas coisas nos preocupam. O primeiro é a demora no início das obras de duplicação da rodovia. A outra é o modelo de parceria com a iniciativa privada para a duplicação desses trechos. Não vamos aceitar a forma sugerida pelo governo porque ela aumenta o custo do transporte e atinge diretamente a população”, disse o presidente da Fetrancesc, Pedro Lopes.

A proposta do governo Federal difere em alguns pontos daquela apresentada pelo Conselho das Federações Empresariais (Cofem). A sugestão da entidade é que se estipule um número médio de veículos para a cobrança das tarifas e que os lucros obtidos com o excedente seja dividido com o Estado para novos investimentos em rodovias ou sirva para redução do preço das tarifas de pedágio.A proposta da União não prevê esse mecanismo. “A cobrança de pedágio é mundial e compatível com o poder aquisitivo do usuário. Se quisermos estradas com alto índice de segurança terão de ser construídas pela iniciativa privada, uma vez que governo algum tem condições de bancar grandes obras rodoviárias”, disse o sercretário de Infra-estrutura de Santa Catarina, Edson Bez de Oliveira.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui