O governo brasileiro já está preparando o calendário de ações dedicadas à redução dos acidentes de trânsito para as comemorações do Ano Internacional contra o Acidente de Trânsito, instituído pela Organização Mundial de Saúde (OMS) em 2004. E para desenvolver as ações, acaba de ser formado um Comitê Brasileiro, no qual a Intervias – Concessionária de Rodovias do Interior Paulista S/A faz parte.

Convidada pela OMS, a coordenadora do Projeto Escola Intervias, Maria José Finardi, integra o Comitê Brasileiro, que hoje, 12 de março, está reunido em Brasília para apresentação de idéias de ações para as comemorações. Além da Intervias, participam do Comitê representantes do Denatran (Departamento Nacional de Trânsito) e instituições ligadas ao trânsito e saúde de todo o país.

Com o slogan “Segurança no Trânsito não é Acidental”, no dia 7 de abril, Dia Mundial da Saúde, a OMS estará atuando em vários estados e municípios, disseminando informações, orientações e atividades para a conscientização da população sobre os riscos de acidentes de trânsito. Nas cidades atendidas pelo Sistema Intervias, a concessionária estará desenvolvendo várias ações neste sentido, que já é o principal objetivo da empresa: redução de acidentes, respeito à vida!

Segundo a OMS, a cada ano 1,2 milhão de homens, mulheres e crianças em todo o mundo morrem em decorrência dos acidentes de trânsito. Milhões de sobreviventes têm que conviver com seqüelas.

Além da vulnerabilidade de pedestres, motocicletas, ciclistas e passageiros, existe o custo dos acidentes, estimado em até 2% do PIB (Produto Interno Bruto) de cada país, o que representa uma perda de cerca de US$ 65 bilhões por ano em todo o mundo.

No Brasil, uma pesquisa, financiada pelo Denatran-Ministério das Cidades e desenvolvida pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), chegou à estimativa de um custo anual de R$ 5,3 bilhões para o conjunto de acidentes ocorridos em aglomerações urbanas brasileiras.

A perda com os acidentes no Brasil, apenas em áreas urbanas, representa cerca de 0,4% do PIB do país. Este ano, o Denatran fará um novo contato com o IPEA para levantar o custo dos acidentes ocorridos nas rodovias.

E agora, pela primeira vez na história da OMS, será organizado um dia voltado para os acidentes de trânsito, seus impactos e conseqüências.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui