Com oito dias de vigência da Lei de Tolerância Zero para a embriaguez no trânsito (Lei 11.705/08), não veio das rodovias federais o primeiro registro na região de processo crime por morte da combinação álcool/volante. Em Criciúma, um grave acidente na região Central da cidade, no sábado, acabou vitimando Marcelo Francisco Hilário, 18 anos. O jovem era caroneiro de um Escort, com placas de Criciúma, conduzido por F. S. J, 20 anos, que estaria embriagado.

Segundo o relatório da Polícia Militar, por volta das 22h30min, o Escort descia a rua Hercílio Luz e teria atingido a lateral dianteira esquerda do Corsa, placas MDT 7163, de Criciúma, dirigido por F.B.N., 24 anos. A motorista do Corsa trafegava na Cel. Pedro Benedet e teve o veículo jogado contra uma farmácia, na esquina. O Escort rodou e bateu violentamente contra dois postes metálicos, e Hilário foi arremessado para fora do veículo. No teste do bafômetro a que foi submetido o motorista do Escort, foi acusado 0,79 mg de álcool, quando a resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) permite 0,2 mg.

Após o acidente, o motorista foi levado ao Hospital São José, onde recebeu atendimento médico, e em seguida, acabou preso em flagrante pela delegada Eliane Viegas. O condutor do Escort foi encaminhado ao Presídio Santa Augusta e poderá responder processo crime por homicídio doloso (quando há a intenção de matar). Marcelo Francisco Hilário morava em Içara e foi sepultado na tarde de ontem, em Jaguaruna, sua cidade natal.

Conforme o sargento Gava, da PM de Criciúma, ainda há uma pequena confusão em relação à nova lei, já que na anterior, toda ocorrência de trânsito com morte era considerada como homicídio culposo, ou seja, sem a intenção de matar. “Não precisa morrer para ser crime. O simples fato de beber e dirigir já é, mas agora com morte pode ser doloso”, disse o sargento. A pena para os crimes dolosos varia de seis anos a 30 anos de prisão.

Motorista flagrado embriagado na 101

Já na BR-101, H.J.C, 47 anos, foi notificado pela PRF de Tubarão por dirigir embriagado. Segundo informações repassadas por patrulheiros, ele conduzia uma caminhonte Hilux, de Tubarão, e cometeu uma infração de trânsito, não parando o carro quando a polícia determinou. Desconfiados da atitude, os policiais o seguiram. No quilômetro 339, no Morro do Formigão, o teste de bafômetro acusou o teor alcoólico de 0.20 mg/l de sangue. Após a notificação, o motorista só pôde sair do local após acionar um parente para buscá-lo. A lei 11.705 prevê que o motorista flagrado com seis decigramas de álcool por litro de sangue ou 0,3 miligrama de álcool por litro de ar expelido no bafômetro (equivalente a uma lata de cerveja) estará sujeito à pena de seis meses a três anos de prisão, com direito à fiança. Segundo a PRF, a nova lei de trânsito é válida para todas as vias públicas.