Queda nas mortes no trânsito e aumento das autuações por parte dos órgãos fiscalizadores são as principais conseqüências da Lei Federal nº 11.705/08, a lei seca, em vigor desde 20 de junho deste ano. O balanço divulgado ontem pelo Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), revela aumento de 242,4% nas autuações por dirigir alcoolizado e redução de 7,01% nas mortes. O Distrito Federal é a unidade da federação que mais cobrou do condutor o cumprimento da lei seca (leia quadro). E está entre as cinco onde houve a maior queda de mortes nas pistas.

O levantamento compara os números de julho e agosto deste ano com os do mesmo período do ano passado. Das 15 unidades da federação incluídas no levantamento, o DF está entre as cinco com a maior redução de mortes no período: foram 85 em 2007 e 69 em 2008, 18,82% a menos. O estado do Tocantins é o que teve a maior queda (-88,88%), seguido de Alagoas (-60,71%), Rio de Janeiro (-30%) e Bahia (-28,57%). “Nossa meta é reduzir ainda mais. E, enquanto a lei seca estiver valendo, vamos cobrar que seja cumprida”, avisou o diretor-geral do Detran (DF), Jair Tedeschi.

Apesar das vidas poupadas, o governo não está satisfeito. “Tínhamos a esperança de que as mortes caíssem pelo menos 20%. Mas se terminarmos o ano com redução de 10%, será um avanço fantástico”, defendeu o diretor do Denatran, Alfredo Peres da Silva. Para ele, a falta de bafômetros em muitos municípios e decisões judiciais contrárias à lei seca influenciaram negativamente na conscientização de alguns motoristas.

Para reduzir ainda mais os números, Alfredo Peres defende que é hora de redobrar a fiscalização sobre as principais causas de morte no trânsito: falta de capacete e do cinto de segurança, mistura de álcool e direção e excesso de velocidade. Segundo ele, essa é uma fiscalização mais difícil de fazer porque demanda gente e bafômetros. Em todo o país, só existem 500 equipamentos. “É por isso que o Ministério da Justiça está comprando 10 mil bafômetros para distribuir entre os detrans e batalhões de trânsito. O investimento será de R$ 70 milhões”, destacou.(AB)

RANKING
Total de autuações por dirigir sob influência de álcool (Artigo 165 do Código de Trânsito Brasileiro):

Estado – 2007 – 2008
DF 142 597
Bahia 72 543
Amazonas 32 224
Paraná 191 197
Roraima 15 180
Maranhão 30 128
Mato Grosso Sul 41 104
Acre 68 98
Mato Grosso 6 65
Rio de Janeiro 34 60
Pará 32 58
Alagoas 11 38
Piauí 4 18.