O presidente Luiz Inácio Lula da Silva pretende inaugurar parte do trecho paulista do trem de alta velocidade (TAV), entre Campinas e São Paulo, antes do fim do seu governo, em 2010, segundo fontes da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). O trajeto total, até o Rio de Janeiro, tem previsão de operação em 2014, quando o Brasil sediará a Copa do Mundo. A ANTT vai publicar, nos próximos dias, a primeira parte dos estudos de viabilidade técnica e financeira do trem rápido — sob coordenação do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) — trazendo uma proposta de traçado e já abrirá consulta pública, via internet, para que técnicos e a população possam opinar.

Técnicos do governo, no entanto, acham temerário estabelecer 2010 para a conclusão do trecho paulista porque existe um cronograma de procedimentos a serem adotados e que irão demandar tempo. Mesmo assim, consideram ser possível já que trajeto terá menos dificuldades de implantação, ao contrário do percurso fluminense, que terá de passar pela Serra das Araras, além da chegada a São Paulo e ao Rio de Janeiro. Esses são os três principais gargalos do trajeto que precisarão ainda ser resolvidos.

A ANTT vai divulgar, em seu site, mensalmente, detalhes do projeto. Primeiro, sairão as diretrizes do traçado com a idéia de que as empresas possam agilizar os planos na área de engenharia, a parte mais complicada. Está previsto para outubro informações sobre as exigências ambientais do projeto e, em novembro, serão publicadas as projeções de passageiros e o retorno do investimento. Em janeiro, sairá o edital do leilão de concessão e, em março, a escolha do consórcio de empresas que irá construir os 518 quilômetros do TAV.