A redução de mortes nas rodovias federais não faz diferença para o caminhoneiro Valdomiro Carniel, 23 anos. Viajando de São Paulo para Porto Alegre com um carregamento de carne de porco, analisou os dados da Polícia Rodoviária Federal num posto à beira da BR-101, em Palhoça.
Para ele, a má conduta dos motoristas continua sendo a principal preocupação nas estradas. “Sempre tenho que ficar atento nos mais abusados. Já sofri um acidente há cinco meses e não quero sofrer essa experiência novamente”, relatou. O gaúcho cita a BR-116 como a mais perigosa estrada de Santa Catarina.
“É pista simples e possui um grande movimento de carros e caminhões”, comentou, sugerindo que fosse investido dinheiro na duplicação dessa rodovia, a exemplo do que está sendo feito na BR-101.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui