Os organizadores da marcha pela duplicação da BR-101 Sul reuniram-se na noite de terça-feira na Câmara de Vereadores de Palhoça, na Grande Florianópolis, para acertar os detalhes de um ato público que encerrará a caminhada, no dia 2 de abril, às 16 horas. A idéia é transformar a chegada dos manifestantes, que são representantes dos municípios cortados pela estrada, num ato público, político e religioso ecumênico.
Os governadores de Santa Catarina, Luiz Henrique da Silveira, e do Rio Grande do Sul, Germano Rigotto, foram convidados para o evento, que deve ser realizado próximo ao trevo de acesso a Santo Amaro da Imperatriz, em Palhoça, onde termina o trecho não-duplicado.
A reunião contou com os presidentes das Câmaras de Vereadores de Içara, Wagner Pizzetti (PDT), e de Palhoça, Otávio Marcelino Martins Filho (PMDB), além do deputado estadual Manoel Mota (PMDB). De acordo com o vereador Martins, alunos das escolas municipais de Palhoça e funcionários da Câmara de Vereadores serão convocados para o ato público.
Os vereadores de Palhoça devem se juntar à marcha na divisa com Paulo Lopes, seguindo até o local da manifestação. “Queremos transformar a chegada da marcha num dia histórico, para sensibilizar o governo federal a executar a duplicação da rodovia”, disse Martins.
Durante os 29 quilômetros percorridos pela marcha na terça-feira, em vários locais da BR-101 a caminhada foi paralisada e todos rezaram pelas pessoas que perderam a vida na rodovia. Um ato público foi realizado por volta das 13 horas no trevo de Nova Brasília e lideranças da cidade de Imbituba discursaram em favor da duplicação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui