A Daimler Chrysler, dona da marca Mercedes Benz, está convocando proprietários do modelo Sprinter para inspeção e eventual substituição dos amortecedores fornecidos pela Sachs. A fabricante de autopeças admitiu que existe a possibilidade, ainda que remota, de ruptura da haste de acionamento dos amortecedores de sua fabricação, o que poderia causar a perda da dirigibilidade do veículo.
Segundo a montadora estão sendo convocados 42.400 veículos no Brasil, 15.000 na Argentina e 1.500 nos demais países da América Latina.
O modelo Sprinter possui versões com capacidade para 9 e 15 passageiros sendo muito utilizado para transporte coletivo, nas grandes cidades e viagens turísticas. Os amortecedores que podem estar comprometidos foram fabricados pela SACHS da Argentina, segundo informações preliminares da empresa. A empresa comunicou aos seus distribuidores para que recolham os amortecedores que estejam nos revendendores. Até o momento a Sachs não realizou nenhuma convocação pública dobre as peças vendidas no mercado de reposição. Segundo a Coordenadora de Marketing da Sachs, Patrícia Micolaiciunas, como a peça é de uso exclusivo para Sprinter, ficou a cargo da Mercedes Benz fazer a comunicação do problema.
A Mercedes desconhece qualquer acidente com veículos Sprinter que possam ter ocorrido em função da quebra de haste do amortecedor. A SACHS informou que a vida útil média nesse modelo, quando de uso intenso, seria por volta de sete meses ou 50.000km e que o lote com problemas foi fabricado até 2002. Portanto, um veículo fabricado em 1996 poderá ter efetuado mais de 10 trocas.
Alguns proprietários de vans, ouvidos pelo www.estradas.com.br, que utilizam Sprinter admitem que esses veículos rodam como média 70.000 km/ano. José Carlos Ribeiro, do Rio de Janeiro, que transporta pessoas de Niterói para o Rio e vice-versa diáriamente afirmou que roda em média 7.000km por mês. O custo médio de uma Srpinter varia de R$ 57.000,00 a R$ 92.000,00 conforme o modelo.
A Mercedes Benz não informou quais os veículos de comunicação serão utilizados para divulgar o recall, mas afirmou que enviaria release para seu mailing de imprensa. No Rio de Janeiro, o anúncio foi publicado no jornal O Globo, mas não apareceu no Jornal do Brasil. No website da empresa não aparecia nenhuma informação sobre o recall, assim como também não foi veiculado pela Sachs.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui