Previsão é que movimento nas rodovias aumente a partir de amanhã

O feriado de Natal terminou de maneira trágica para muitas famílias. Trinta e quatro pessoas morreram nas rodovias federais que cortam Minas Gerais entre a madrugada de sábado e o final da noite de quarta-feira, de acordo com balanço parcial da Polícia Rodoviária Federal (PRF). Os números concedem ao recesso o título de mais violento do ano.

A PRF, entretanto, prefere não comparar os dados com os demais feriados de 2008, pois eles tiveram períodos mais curtos.

Este ano, a polícia estendeu o período da operação Fim de Ano, que foi antecipada para a 0h do dia 20 de dezembro e deverá terminar às 24h do dia 4 de janeiro, devido à movimentação nas estradas que começou na sexta-feira em vez de quarta-feira, como era esperado.

De qualquer maneira, no balanço parcial de vítimas fatais – o número de acidentes e feridos não foi divulgado ontem – houve um aumento de 30% na comparação com o feriado de Natal do ano passado. Entre os dias 21 e 25 de dezembro de 2007, 26 pessoas morreram; este ano, entre os dias 20 e 24 de dezembro, 34 pessoas morreram.

Das mortes registradas nas BRs neste feriado, 11 ocorreram anteontem. Na BR-262, em Campos Altos, no Alto Paranaíba, quatro pessoas de uma mesma família morreram, entre elas dois irmãos, de 17 e 13 anos. Na 365, no trevo de Monte Alegre de Minas, no Triângulo, a batida entre uma carreta e um carro provocou a morte de três pessoas e deixou outras duas feridas. De acordo com a PRF, um Kadett passava pelo trevo quando foi atingido pela carreta. O condutor do carro e duas passageiras, de 10 e 44 anos, morreram no local. Os outros ocupantes do mesmo veículo, dois meninos, de 10 e 13 anos, tiveram lesões leves.

Segundo o inspetor Aristides Júnior, chefe da comunicação social da PRF em Minas Gerais, até o momento, o feriado foi marcado por um número menor de acidentes, mas com mais vítimas. “Os carros estão trafegando mais lotados e os acidentes acontecem devido à chuva aliada à imperícia, imprudência ou negligência. Os motoristas abusam da velocidade e fazem manobras da mesma forma, como se não estivesse chovendo, sendo que a pista fica escorregadia e com má visibilidade.”

Na tarde de ontem, o movimento nas estradas foi tranqüilo. O inspetor Júnior acredita que haverá um aumento a partir do próximo fim de semana. “O movimento ocorreu de maneira diluída desde sexta-feira. Agora, acredito que haverá gente retornando do Natal e outras pessoas indo para o Ano Novo, mas é preciso esperar para confirmar a situação”, afirma.

Viagem – Movimento tranqüilo na rodoviária da capital

O movimento ontem foi tranqüilo na rodoviária de Belo Horizonte. Poucos passageiros passaram pelo saguão, que não lembrou nem de longe a aglomeração dos últimos dias, quando muita gente aproveitou para sair da capital, principalmente com destino aos municípios do interior de Minas e litoral, ou para chegar à cidade para visitar parentes.

Durante a manhã e à noite, a maioria dos passageiros desembarcava vindos do litoral. Já pela tarde, chegaram mais ônibus que saíram do interior do Estado. De acordo com informações do terminal rodoviário, 175 mil pessoas devem passar pelo local no fim deste ano. No período de 18 a 24 de dezembro, foram colocados 1.586 ônibus extras.

No Ano Novo, os passageiros terão à disposição 1.026 ônibus extras, além dos que operam regularmente, num total de 5.362 veículos. (Alexandre Nascimento)

Sul – Batidas fazem 5 vítimas fatais em Santa Catarina

São Paulo. A quarta-feira, véspera de Natal, foi violenta nas estradas federais dentro de Santa Catarina. Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), 168 veículos se envolveram em 82 acidentes, com um saldo de cinco mortos e 56 feridos. Foram cinco acidentes com mortes, nos quais envolveram-se dois caminhões, duas motos e seis veículos de passeio.

Dois dos acidentes com mortes ocorreram na BR–101, em Joinville e Imbituba. Outros dois em Curitibanos e Pouso Redondo, na BR–470, e um em Faxinal dos Guedes, na BR–282.

Os mortos são Cristiano Figueiredo Zarpe, 30, que estava ao volante de um Vectra, José Carlos Gonçalves, 52, condutor de uma moto, Carlos Roberto de Carli, que pilotava também uma moto, Marinez Griss, 52, que estava ao volante de um Celta, e José Pegoraro, 56, que dirigia um Gol.