A Associação dos Motociclistas do Estado do Rio (AMO-RJ) e a Federação de Motoclubes do Estado do Rio (FMCRJ) estão enviando protestos nesta quarta-feira ao governador Sérgio Cabral contra a campanha educativa do Detran, sob o título “Animais no trânsito – não seja irracional”, que põe galinhas, porcos, coelhos e tartarugas pilotando motocicletas e pede aos condutores que não trafeguem acima ou muito abaixo dos limites de velocidade. As duas entidades consideraram a campanha ofensiva à imagem dos motociclistas. Somente na capital do estado existem 167 mil motos emplacadas no Detran. Em todo o país, são 12 milhões de motocicletas.

– Discordamos da maneira pejorativa através do qual do Detran está veiculando a imagem dos motociclistas em geral. Infelizmente, a presidência do Detran deve desconhecer o trabalho social e educativo que os bons motociclistas desempenhem através dos seus motoclubes. A campanha é ofensiva a todos os motociclistas que utilizam suas motocicletas seja para o trabalho ou lazer – protestou o presidente da AMO-RJ, Aloísio César Braz.

Já o presidente da FMCRJ, Renato Pereira, disse que a entidade apóia as campanhas educativas mas lamentou que a campanha do Detran não seja dirigida, também, aos motoristas de veículos de passeio, de vans, de ônibus e de caminhões que, segundo ele, cometem muito mais infrações do que os motociclistas.

– Em 80% dos acidentes, o motociclista não é culpado e sim os motoristas de veículos que não nos respeitam. A campanha é de gosto duvidoso e está mal direcionada. Nós somos as maiores vítimas do trânsito louco da cidade. A publicidade de guerrilha assusta a sociedade e não atinge o caráter educativo – afirmou Pereira.