A Polícia Rodoviária Estadual (PRE) flagrou mais um motorista apresentando sintomas de embriaguez na rodovia estadual RS-734, estrada que liga o centro da cidade ao balneário Cassino. Porém, desta vez o acusado acabou envolvendo-se num acidente de trânsito.

De acordo com informações passadas pelos policiais do 1º Grupo Rodoviário Estadual do Rio Grande (GRV/RG), localizado à margem da RS-734, na noite do último domingo, 8, por volta das 21h25min, os policiais do posto foram informados que no quilômetro um, na entrada do balneário, teria ocorrido com acidente de trânsito envolvendo um automóvel.

Imediatamente uma viatura da PRE foi deslocada para atender o acidente, sendo que quando chegaram ao local, os policiais constataram que o motorista N.G.S., de 61 anos, havia perdido o controle do automóvel VW/Apolo GLS, cinza, placa ICC1296, saído da pista e vindo a colidir nas placas de sinalização à margem da rodovia.

Durante o atendimento do acidente, os policiais notaram que o condutor do veículo apresentava visíveis sinais de embriaguez. Diante dos fatos, o suspeito foi submetido ao teste de bafômetro, o qual apresentou como resultado 0,58 miligramas de álcool por litro de sangue, caracterizando assim o estado de embriaguez, visto que o permitido por lei é apenas 0,29 miligramas por litro.

Ao motorista foi dado voz de prisão em flagrante, sendo o mesmo conduzido ao pronto-socorro da Santa Casa, sendo atestado pelo médico plantonista o estado de embriaguez do indiciado. Logo em seguida, o motorista foi apresentado na Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA), mas após pagar fiança acabou sendo liberado. Já o veículo foi apreendido e recolhido para um depósito autorizado pelo Detran.

Outro caso
Somente neste início de mês, a Polícia Rodoviária Estadual já flagrou dois motoristas embriagados na RS-734, sendo que o primeiro caso ocorreu na manhã do dia 1º .

Nesse caso, os policiais verificaram que o motorista L.M.B., de 20 anos, que conduzia o veículo GM/Celta, branco, placa IOL9176, apresentava sintomas de embriaguez, visto que o teste apontou 0,69 mg/l. Na ocasião, o motorista pediu para falar em particular com o policial, momento em que ofereceu R$ 1,2 mil para não ser autuado e o carro liberado, pois caso contrário iria perder a sua CNH, a qual era provisória.