O Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários de Pernambuco decidiu, depois de ter negada sua reivindicação de reajuste salarial, fazer uma paralisação de 24 horas nesta sexta-feira (20), impedindo a circulação dos ônibus na Região Metropolitana do Recife.

Até agora, ainda há coletivos passando em algumas localidades, como Avenida Norte, Estrada Velha de Água Fria, rodovia PE-15 e Avenida Perimetral. No entanto, nos terminais de integração de Rio Doce e PE-15, em Olinda, e Joana Bezerra, no Recife, o volume de passageiros é bem grande, diante do menor número de veículos circulando e do maior intervalo de passagem entre eles.

Na avenida Nápoles, em Rio Doce, onde fica a sede da empresa Cidade Alta, há uma concentração de motoristas e cobradores. Eles estão impedindo a saída de veículos e, os que ainda tentam, têm seus pneus esvaziados pelos manifestantes. A Cidade Alta tem 210 veículos e 1.200 funcionários. Dois carros da PM estão fazendo a segurança no local.

De acordo com o Sindicato, a adesão é de 95% das empresas. A Itamaracá, no entanto, garante que colocou 90% de seus veículos na rua e está fazendo suas linhas regulares e cobrindo também outros itinerários. Passageiros que estão no terminal da PE-15 afirmam que, apesar da demora, eles estão conseguindo entrar nos ônibus para chegar a seus destinos.

AS EXIGÊNCIAS
Motoristas, cobradores, fiscais de linha e mecânicos reivindicam 12,8% de aumento, mas o Sindicatos das Empresas de Transporte de Passageiros de Pernambuco (Setrans) oferece apenas 4%, divididos em duas parcelas. O impasse foi resultado de reunião na última quinta (19), na sede da Delegacia Regional do Trabalho (DRT), no Espinheiro, de onde os trabalhadores saíram em passeata até o centro da cidade.

A greve de advertência deve prejudicar cerca 1,7 milhão de usuários que circulam diariamente nos ônibus do Grande Recife. Uma nova reunião entre os sindicatos deve acontecer na próxima quarta (25) e, se não houver avanço nas negociações, os rodoviários prometem parar por tempo indeterminado.