Quase 400 sem-terra ligados à Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag), isolaram Corumbá, no Mato Grosso do Sul. Eles bloquearam a BR-262 por sete horas consecutivas, das 6 às 13h, única via asfaltada que dá acesso rodoviário ao município, causando uma série de transtornos.

O grupo reivindica lotes entregues pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), que foram vendidos pelos beneficiados, o que é proibido. São 26 áreas com tamanhos entre 15 e 25 hectares em três assentamentos, vendidas pelos parcelereiros segundo levantamento feito pelo Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Corumbá.

O superintendente regional do Incra, Luís Carlos Bonelli discorda desse número, esclarecendo que as denúncias já foram verificadas. “Constatamos em um dos assentamentos mencionados pelos sem-terra apenas seis lotes ocupados irregularmente por terceiros, que compraram os imóveis de ex-assentados”, afirmou.

A especulação e exploração imobiliária em assentamentos do Incra existe há pelo menos 10 anos, reconhece Bonelli. Entretanto,à medida em que esses locais são identificados, quem vendeu é processado, perde o direito a qualquer benefício da reforma agrária e quem comprou perde o terreno.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui