Prevendo que as obras financiadas pelo governo federal na BR 153 só devam começar daqui cerca de um mês, a Polícia Rodoviária Federal pediu ajuda a algumas prefeituras da região de Marília para reparos paliativos na rodovia Transbrasiliana.

Hoje de manhã começa a ação da prefeitura de Ocauçu, que vai tapar os buracos mais fundos da BR 153 com terra e cimento. A operação tapa-buracos deve se estender por aproximadamente 15 km da Transbrasiliana, trecho que inclui a faixa onde está o trevo da cidade e deve ir até o começo da serra.

“Esse tipo de reparo dura três meses, no máximo, mas é um serviço que vai ajudar a evitar acidentes até que o Exército assuma as obras”, explica Alex Manacesi, policial rodoviário federal.

Ele disse ainda, que em breve a Prefeitura de Lupércio também deve contribuir tapando buracos na BR 153, pois o perigo de acidentes tem crescido com o aumento no número de buracos por causa das chuvas.

“No plantão da polícia de quinta para sexta passada, por exemplo, tivemos seis casos de pneus furados ou rodas amassadas pelos buracos na pista. Na ocasião não teve nenhuma ocorrência grave, mas é sempre um risco potencial”, avisa Manacesi.

Segundo Paulo Roberto Nunes, do Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes), essa não é a primeira vez que prefeituras ajudam a tapar buracos na BR 153.

“Em janeiro, o trecho entre o Rio do Peixe e a entrada de Ocauçu também foi reparada pela prefeitura da cidade”, lembra.

Ele ressalta que esse tipo de parceria é bem-vinda na atual conjuntura porque o Dnit não tem permissão para fechar contrato com uma empresa para fazer os reparos na Transbrasiliana e a portaria interministerial que vai liberar 4 milhões para financiar reparos na pista pelo exército ainda não foi assinada.

Segundo a assessoria de imprensa do Dnit em São Paulo, a BR 153 é a rodovia federal em melhor estado de conservação do país, pois no restante das pistas há até interrupção das vias porque parte do asfalto afundou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui