Término de obras estava previsto para dezembro, mas por alterações climáticas, o prazo foi estendido

A nova entrada de Campinas pelo Km 89,5 da Rodovia Anhangüera (SP-330), na altura do empreendimento Swiss Park, deverá ficar pronta no final de janeiro de 2009. Inicialmente, o término das obras estava previsto para dezembro, mas, por causa das alterações climáticas, o prazo foi estendido para mais um mês. O viaduto Compositor Carlos Gomes — homenagem da Prefeitura ao artista campineiro — ajudará a desafogar em 30% o trânsito da Avenida Prestes Maia, no trevo da Anhangüera com a Rodovia Santos Dumont (SP-075), que hoje é o primeiro acesso direto ao Centro para quem vem da Capital. O volume diário médio da via, segundo a Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec), é de 35 mil veículos.

O custo do conjunto viário completo — viaduto e alças de acesso — é de R$ 6 milhões e está sendo todo financiado pela AGV Campinas Empreendimentos Ltda, loteadora do Swiss Park. O novo viaduto dará acesso direto à Avenida São José dos Campos, no Parque da Figueira, e atenderá tanto o Swiss Park quanto outros bairros do entorno, como Parque Prado, Jardim Nova Europa e Parque Jambeiro.

De acordo com a assessoria do empreendimento, nenhuma rua do bairro será obstruída com a finalização da obra. Algumas vias serão apenas adaptadas para coincidir com os níveis do novo conjunto viário, como ocorrerá com uma alça já existente na Avenida Sebastião Curry e dá acesso à Anhangüera — sentido Capital-Interior —, próximo ao viaduto.

A Emdec informou que serão necessários apenas pequenos ajustes no sistema viário daquela área. As ruas do entorno, que foram recapeadas recentemente pela Secretaria Municipal de Infra-Estrutura, receberão reforço na sinalização viária e a Avenida São José dos Campos possivelmente ganhará um semáforo no cruzamento com a Avenida Baden Powell. Ajustes como a melhoria da iluminação do local também só vão ser executados pela Prefeitura de Campinas próximo da data de inauguração.

O diretor da AGV, Tomaz Alexandre Vitelli, disse que a construção desse viaduto ajudará ainda a desafogar o trânsito da Avenida Moraes Salles. “Esse complexo, além de atender os cerca de 36 mil habitantes, que deverão ocupar os 5 mil lotes do empreendimento imobiliário, servirá ainda de alternativa de acesso para todos os moradores de região Sul”, afirmou. “Conseqüentemente, não só a Avenida Prestes Maia terá o trânsito desafogado em 30%. O tráfego da Avenida Moraes Salles, por tabela, também ficará menor, com a inauguração desse viaduto”, disse Vitelli.

A previsão do engenheiro é de que o motorista irá gastar pouco mais de 10 minutos do novo viaduto até a Prefeitura. “Evitando o trânsito dessas avenidas (Prestes Maia e Moraes Salles) e utilizando essas novas opções propostas com a abertura desse novo conjunto viário, o motorista conseguirá chegar mais rápido ao Centro”, ressaltou Vitelli. A reportagem apurou que esse percurso é de 7 quilômetros e pode ser feito em aproximadamente 15 minutos. A obra foi aprovada em novembro de 2007 pela Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp) e pela Concessionária AutoBAn.