Obras na BR-153, que liga PA e RS, acabaram há seis meses. Polícia Rodoviária diz que motoristas andam em alta velocidade.

A BR-153, que liga o Pará ao Rio Grande do Sul, sempre foi uma estrada perigosa. O trecho entre Anápolis e Porangatu já foi considerado um dos mais perigosos de Goiás. A grande quantidade de buracos e a falta de sinalização provocavam acidentes. Há seis meses, as obras de recuperação acabaram. E o número de acidentes aumentou.

Ao contrário do que se esperava, o índice de acidentes não reduziu depois dos reparos. Neste trecho da rodovia, foram 50 mortes em 2007. Neste ano, 75. “Muita gente abusa da alta velocidade na estrada, que está em boas condições”, diz o professor Marcelo José de Almeida.

As placas avisam que o limite de velocidade é de 80 quilômetros por hora. Mas, com a pista livre, os motoristas ignoram a sinalização.

Com pressa, muitos não percebem nem o radar no acostamento. Um carro flagrado em uma foto passou pelo trecho a 154 quilômetros por hora.

Como essa parte da BR é de pista simples e tem um tráfego intenso de caminhões, muitos motoristas ainda insistem em fazer ultrapassagens proibidas. A Polícia Rodoviária Federal reforçou a fiscalização, mas o trabalho esbarra na ação de caminhoneiros que passam informações pelo rádio.