Obras de duplicação na Armando Sales de Oliveira estão atrasadas

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) quer a suspensão da cobrança do pedágio da rodovia Armando Sales de Oliveira, que liga Sertãozinho a Bebedouro. Há cinco anos os motoristas pagam pela duplicação da via, mas as obras estão bem atrasadas. Hoje o valor da tarifa é de R$ 3,30.

O contrato de privatização apontava que a primeira parte da duplicação deveria ser entregue em setembro de 2000. A segunda parte seria em março de 2002. Em dezembro de 2003 uma comissão formada por membros da OAB entrou com uma ação contra a Via Norte. A empresa administra o trecho desde 1998, ano da privatização.

“Queremos que o pedágio fique suspenso pelo tempo de atraso da obra”, afirmou o advogado Fábio Ribeiro, responsável pelo processo contra a concessionária. A Justiça ainda analisa o processo movido contra a concessionária.

Além das obras não concluídas, o trecho não tem sinalização eficiente e confunde os motoristas como no trevo de Pitangueiras. “Temos que ter cuidado redobrado. Você tem que dirigir para você e para os outros”, disse o vendedor Altair José Pinceta .

Outro Lado

A concessionária Via Norte afirmou que as obras estão regularmente no cronograma com o que foi acertado com a Agência Reguladora de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp). A empresa afirma ainda que a obra deve ser entregue ainda este ano. A Artesp afirmou que três acertos no contrato de privatização foram feitos com a Via Norte e que agora as obras caminham dentro do prazo.