As obras de duplicação da BR-163, no trecho entre Vila Vargas e o trevo de acesso ao Distrito Industrial de Dourados (DID), passando pelo Parque de Exposições João Humberto de Carvalho e pelo Parque das Nações II, estão em ritmo acelerado. As duas empreiteiras responsáveis pela execução do projeto – Cobel Engenharia e Técnica Viária Construções – estão com as máquinas e homens trabalhando a todo vapor para levar adiante a obra que está recebendo investimentos de R$ 12,170 milhões.

Os recursos para a obra foram assegurados por emendas dos deputados Geraldo Resende (PMDB) e Vander Loubet (PT), além do senador Delcídio do Amaral (PT) ao Orçamento Geral da União (OGU). “Quem passar pela BR-163 poderá ver os operários atuando nos dois trechos que estarão duplicados até novembro”, afirma Geraldo.

O deputado lembra que as obras estavam paralisadas há mais de oito anos, mas os contratos com as empreiteiras continuavam em vigor, fato que possibilitou à Cobel Engenharia a retomada dos trabalhos entre Vila Vargas e Vila São Pedro, num investimento de R$ 7,170 milhões, e à Técnica Viária Construções a duplicação do trecho situado entre o Parque de Exposições e o trevo de acesso ao Distrito Industrial.

Para este segundo trecho Geraldo viabilizou R$ 5 milhões, mas o projeto original prevê que a obra deve se estender até a Embrapa Agropecuária Oeste. “Para que isto ocorra, estamos trabalhando em Brasília para garantir mais R$ 20,7 milhões junto ao Ministério dos Transportes”, esclarece.

Para Resende, é importante ressaltar que esta primeira fase vai garantir mais segurança para a população que reside nos Distritos de Vila Vargas e Vila São Pedro, bem como para os moradores do Parque das Nações I e II, que ficam expostos ao perigo toda vez que atravessam a rodovia. “Além disto, estas obras são importantes para garantir o desenvolvimento estratégico do município pelos próximos 20 anos”, enfatiza.

Em reunião com o ministro dos Transportes José Múcio, o deputado relatou o histórico da luta pela duplicação da BR-163 e apontou a necessidade de conclusão do projeto para garantir também segurança aos motoristas oriundos das regiões Norte e Sul do País. O chefe do Serviço de Engenharia do DNIT em Mato Grosso do Sul, Guilherme de Carvalho, explica que os R$ 7,17 milhões empenhados em favor da Cobel Engenharia serão suficientes para garantir grande parte da obra entre Vila Vargas e Vila São Pedro. “Já o segundo trecho, que vai até a Embrapa, demanda mais investimentos e temos certeza que o deputado Geraldo Resende vai garantir estes recursos através de emendas ao orçamento da União ou gestões extra-orçamentárias junto ao Ministério dos Transportes”, comenta Guilherme.