As obras de recuperação da rodovia

Belém-Brasília estão previstas para começar oficialmente

hoje pelo município de Estreito, na região sudoeste do

Maranhão. São 250 quilômetros do trecho maranhense, onde é

chamada de BR-010.
Para a operação tapa-buracos, o Ministério dos Transportes

disponibilizou R$ 7.680.000,00. A construtora Construmil

Terraplanagem foi a vencedora da licitação (foi a segunda

colocada, mas a primeira desistiu) e vai presidir os

serviços cujo prazo de conclusão não foi divulgado

oficialmente pelo Departamento Nacional de Infra-Estrutura e

Transporte (DNIT).

O diretor do DNIT em Imperatriz, Gilvan Nascimento, explicou

que a operação tapa-buracos deve começar oficialmente hoje,

quando for concluído o relatório fotográfico sobre as

condições da rodovia no trecho entre Estreito e Itinga.

“Nós estamos percorrendo a rodovia para fazer o relatório

fotográfico. Esse é um procedimento normal porque será

entregue à construtora para que ela tome conhecimento

oficial de como se encontra o trecho para em seguida dar

início aos trabalhos”, explicou o diretor.

SERVIÇOS

A operação visando recuperar a BR-010 deverá ser executada

por duas frentes de serviço. Uma inicia os trabalhos em

Estreito com conclusão em Imperatriz, enquanto a segunda

começa em Imperatriz tendo como ponto final o município de

Itinga, na fronteira com o estado do Pará.

Gilvan Nascimento lembrou que, há cerca de uma semana,

outras equipes começaram a fazer os serviços de limpeza de

meio fio e capina de mato nas margens da rodovia no mesmo

trecho.

A operação tapa-buracos na BR-010 é bem recebida pelos

usuários da principal rodovia federal que corta o estado.

Diariamente, segundo a Polícia Rodoviária Federal, 6 mil

veículos (a maioria é de carga) passam pela Belém-Brasília

no trecho maranhense e as reclamações em torno do estado de

conservação da rodovia são expostas de várias maneiras.

Em todo o trecho de Itinga a Estreito, a rodovia apresenta

rachaduras, ondulações, buracos; as poucas placas de

sinalização estão escondidas no mato ou danificadas. Um dos

pontos mais críticos fica a 1 km da Barreira da Polícia

Militar no povoado Bananal, no município de Governador

Edison Lobão.

Os buracos tomam a pista de um lado a outro e para tentar

desviar dos obstáculos os condutores de veículos invadem a

via no sentido contrário, aumentando as chances de

acidentes.