As obras de duplicação da BR-262 estão previstas para começar no próximo mês. O Departamento Nacional de Infra-estrutura de Transportes (Dnit) assinou, esta semana, o contrato para a execução dos serviços, orçados em R$ 330 milhões. De acordo com o edital publicado no Diário Oficial da União, os recursos para a duplicação de 84 quilômetros do trecho entre Betim e o entroncamento com a BR-494, em Nova Serrana, na Região Centro-Oeste de Minas, virão do Programa de Aceleração do Crescimentos (PAC). O montante é R$ 44,6 milhões menor do que os R$ 374,6 milhões previstos no primeiro edital, revogado pelo Dnit, atendendo a recomendação do Tribunal de Contas da União.

A rodovia é estratégica para as regiões Centro-Oeste, Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba. O projeto vai adequar a capacidade, duplicar a pista e restaurar o trecho. Foram feitos três lotes, que terão consórcios de empresas distintos. A previsão de execução dos trabalhos é de 36 meses.

Educação

Uma série de atividades de educação para o trânsito estão previstas para as cidades às margens do sistema MG-050/BR-265/BR-491. Promovidas pela Concessionária Nascentes das Gerais, responsável pela cobrança do pedágio na MG-050, em parceria com o DER-MG e as prefeituras de Divinópolis e Formiga, as ações visam a despertar em crianças, adolescentes e adultos a importância de práticas seguras no dia-a-dia do trânsito.

BH sem radares

A disputa acirrada pela implantação de 97 radares em Belo Horizonte terminou sem vencedores. A BHTrans divulgou quarta-feira no Diário Oficial do Município que o Consórcio BHZ, que desde agosto era o único a permanecer na disputa, foi desclassificado por reclamação dos concorrentes. Diante da notícia, “a última fase do processo e os testes em escala real terão de voltar à estaca zero”, disse o procurador-geral do município, Marco Antônio Rezende. O BHZ tem cinco dias para apresentar recurso. O edital para escolha da empresa que administrará os equipamentos na cidade foi lançado em outubro do ano passado.