A Justiça de Campos expediu mandado de prisão preventiva de mais um policial rodoviário federal envolvido na máfia do combustível. Robson Sarlo Dutra, de 47 anos, é suspeito de liberar cargas irregulares de combustível, no esquema que seria comandado pelo empresário Antônio Carlos Chebabe. Desaparecido, Robson já é considerado foragido da Justiça.

Também foram presos o ex-chefe da Polícia Rodoviária Federal (PRF) em Campos, Antônio César Leite Gondin, e o inspetor da PRF José Olavo de Oliveira Pinto. Chebabe e os outros 14 presos responderão a processo por formação de quadrilha, sonegação fiscal, lavagem de dinheiro, falsidade ideológica, corrupção ativa e passiva. A quadrilha lucrava R$ 3,6 milhões por mês.

A maior quadrilha de adulteração de combustíveis no país sabia quando e a que horas policiais corruptos estariam de plantão. O policial rodoviário Robson Sarlo Dutra trabalhava num posto de fiscalização de Campos.

A força tarefa obteve provas da participação de Robson em um esquema de cobrança de propina comandado por Chebabe. As cargas ilegais passavam sem problemas pelo posto quando o policial ficava sozinho, sobretudo caminhões procedentes do Espírito Santo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui