O Departamento Nacional de Estradas de Rodagem (DNER) deve retomar ainda
esta semana as obras de construção do Viaduto de Manilha, em Itaboraí, no
Rio de Janeiro. Os trabalhos foram suspensos na manhã de ontem (22/01),
atendendo a uma notificação da prefeitura que alegou prejuízos ao
ordenamento urbano da cidade.
A decisão da prefeitura revoltou os moradores e comerciantes da região. O
diretor da Associação Manilhense de Desenvolvimento Social, Adelmo Santos,
disse que o desejo da comunidade é de que as obras não sejam interrompidas.
Ele observou que não é hora de fazer alterações profundas no projeto como
quer a prefeitura. “Se eles queriam alterações no projeto, tiveram o tempo
necessário e nada fizeram”, acrescentou.
A associação aguarda apenas o envio, pelo DNER, da documentação do projeto
para tomar medidas destinadas a manter a obra. A intenção é procurar a
secretaria Municipal de Obras a fim de discutir a questão. Adelmo Santos
informou que a entidade pode recorrer à justiça se a prefeitura não
suspender o embargo. A comunidade já se organizou para protestos. Moradores,
comerciantes e empresários da região programaram, para esta quarta-feira,
manifestação contra a prefeitura. Eles vão estender faixas e cartazes para
exigir a manutenção dos trabalhos.
Para o DNER, a decisão da prefeitura de Itaboraí não tem apoio legal porque
foi tomada para impedir a continuidade de uma obra federal baseada apenas
numa notificação não judicial.
A obra, a cargo da Delta Construções Limitada foi iniciada no dia 30 de
novembro com a presença do diretor do DNER-RJ, Maciste Mello Filho, do
ex-governador Moreira Franco e do deputado estadual Wolney Trindade. O
viaduto, no fim da Rodovia Niterói-Manilha (BR-101), terá 34 metros de
comprimento, 27 metros de largura e deverá ser concluído no segundo semestre
deste ano.
O viaduto de Manilha deverá acabar com o risco de acidentes no entroncamento
das BRs 101 e 493 e da RJ 104. O local é passagem obrigatória para quem se
dirige ao norte e leste fluminenses e estados das regiões norte e nordeste.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui