O diretor da Circunscrição Regional de Trânsito (Ciretran) de Nova Friburgo, José Geraldo Solon, foi preso ontem à tarde pela Polícia Civil, acusado de ser um dos sete funcionários do órgão responsáveis pela regularização de 20 carros importados roubados fora do país. Como O GLOBO noticiou no dia 4, uma quadrilha encontrou uma brecha no sistema do Registro Nacional de Veículos Automotores (Renavam), usando-a para “esquentar” veículos roubados. A estimativa do Detran é de que 85 mil importados tenham sido legalizados dessa forma no Rio.

José Geraldo, que foi preso por policiais da delegacia de Friburgo, tinha sido afastado das suas funções na semana passada. Em seu apartamento foram encontrados quatro processos de emplacamento de carros importados. As prisões preventivas dos outros seis acusados já foram pedidas à Justiça pelo Ministério Público.

Denatran está fazendo auditoria no Renavam

Ontem também, o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) determinou a 27 Detrans do país que examinem todos os procedimentos adotados para emplacar carros fabricados no Brasil até 1991 e produzidos fora do país até 1993. A decisão do presidente do Denatran, Aílton Brasiliense Pires, tem o objetivo de evitar que veículos roubados sejam legalizados. Os carros nacionais e importados fabricados a partir dos anos especificados já contavam com uma ficha de pré-cadastramento, preenchida pelas montadoras. O documento, segundo o Denatran, é uma espécie de certidão de nascimento dos veículos.

De manhã, Aílton se encontrou com o presidente do Detran do Rio, Hugo Leal, com quem conversou sobre as fraudes descobertas na Ciretran de Friburgo. Segundo Hugo Leal, cerca de 210 mil veículos importados de todo o país foram cadastrados ilegalmente no Renavam.

Além de avisar aos Detrans sobre o problema, o Denatran está fazendo uma auditoria no Renavam.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui