A PRF estará fiscalizando o transporte de passageiros nas estradas que cortam o Piauí

A equipe da Polícia Rodoviária Federal (PRF) está trabalhando nestas eleições na fiscalização do transporte de eleitores em todas as estradas piauienses. Os ônibus e veículos que transportam pessoas para outras cidades devem manter a lotação exigida e evitar transportar mais pessoas do que o permitido por lei.

Policiais Rodoviários Federais estarão autuando os veículos que estiverem viajando com superlotação e o transporte ilegal de eleitores não será permitido. A fiscalização começa nessa sexta-feira e continua até próxima segunda-feira nas estradas que cortam todo o Piauí.

Segundo o inspetor da PRF, Carlos Antônio, a Polícia Rodoviária Federal estará trabalhando durante todo o fim de semana para garantir a segurança dos motoristas neste período onde muitos viajam para outras cidades com a finalidade de votar. Ele explica para os motoristas que antes de seguir viagem, devem fazer uma revisão completa dos veículos, andar com a documentação do veículo, estar com a carteira de motorista em dia e evitar ingerir bebidas para evitar acidentes.

Carlos Antônio aconselha aos motoristas a quando estiverem dirigindo manter a velocidade permitida, evitar ultrapassagens e obedecer sempre a sinalização para uma viagem tranqüila. “Os motoristas devem sempre estar alertas e atentos enquanto estiverem dirigindo e procurar seguir as regras do trânsito”, comenta.

“As crianças devem ser colocadas no banco de trás e o cinto de segurança deve ser usado em todas as horas”, comenta o inspetor.

Motoristas que forem flagrados burlando as regras no trânsito serão punidos e a equipe da PRF estará com etilômetros nas estradas para avaliar se a concentração alcoólica presente no ar expirado por um motorista não ultrapassou os limites tolerados por lei.

De acordo com a nova lei, o motorista quando submetido ao teste do bafômetro, estará passível de multa de R$ 955 e suspensão de habilitação, se o resultado estiver acima de 0,1 mg de etanol por litro de ar expelido. Já os motoristas flagrados com uma dosagem superior a 0,3 mg de álcool por litro de ar expelido no bafômetro, respondem criminalmente. A pena nesse caso pode variar de seis meses a três anos de prisão.