As sete rodovias federais que cortam o Distrito Federal serão mais vigiadas na folia de 2008. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) preparou um esquema de fiscalização especial. Instrução normativa publicada pelo órgão suspende, de 1º a 10 de fevereiro, as férias de todos os servidores que ocupam cargos de chefia no departamento de polícia e nas regionais dos estados.

A medida atingirá 250 policiais em todo o país e cerca de 25 no DF. O trabalho dos policiais de plantão também será dobrado. O objetivo da Operação Carnaval é impedir que os quatro dias de folia sejam tão sangrentos quanto os feriados do final de 2007. No Natal e ano-novo, oito pessoas morreram e 84 ficaram feridas em 121 acidentes ocorridos nas estradas de acesso ao DF.

A ordem foi assinada pelo ministro da Justiça, Tarso Genro, e comunicada aos policiais, internamente, na última quarta-feira. De acordo com a norma, os superintendentes, chefes de divisão, de delegacia, de policiamento e de fiscalização só poderão tirar férias depois de 10 de fevereiro. Aqueles que já estão no recesso devem retornar dia 1º.

Da sexta-feira antes do feriado até a quarta-feira de cinzas, não haverá expediente nos distritos e todos os policiais deverão ir para as ruas. Além disso, os que cumprem escalas, em vez de trabalhar 24 horas e folgar 72 horas, estarão nos postos policiais a cada 24 horas.

De acordo com a assessoria de comunicação social da PRF, os detalhes da Operação Carnaval serão definidos esta semana. Mas sabe-se que a medida é, principalmente, para reforçar o comando do plantão no feriado mais crítico do ano, quando os motoristas abusam da bebida alcoólica e da velocidade. Os chefes não irão operar bafômetros ou radares. A intenção é deixar pessoas com poder de decisão nas pistas para agilizar o trabalho.

Em 2007, a PRF adotou medida parecida para conter a violência nas estradas: suspendeu as férias de todos os policiais no carnaval. E, apesar de o número de acidentes ter sido maior, as mortes não aumentaram. Em 2007, duas pessoas morreram em 54 acidentes, contra duas mortes e 34 acidentes em 2006. “A medida é válida. Os chefes de polícia devem estar no comando.

Com eles por perto, a motivação dos policiais é maior. Já estamos acostumados à mobilização perto de feriados prolongados. As folgas serão dadas em outro momento”, afirma o presidente do Sindicato dos Policiais Rodoviários Federais, José Nivaldino Rodrigues.

Até o carnaval, a PRF fará ações educativas, como a operação Trânsito Consciente. Com a ajuda de 30 voluntários vestidos de anjo, policiais abordaram cerca de 300 motoristas na BR 040, na entrada de Valparaíso, ontem, para entregar folhetos sobre a importância do cinto de segurança e do respeito à sinalização.