Agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) prenderam na manhã desta quarta-feira, dia 6, mais um acusado de integrar a quadrilha de crimes de adulteração de combustíveis, seqüestros, quadrilhas de roubo de carga, ônibus, homicídios, entre outros. Leonardo Gomes da Silva, 56 anos, era um dos foragidos da Operação Paracelso, desencadeada no mês passado por agentes da PRF em todo o país.

Segundo o inspetor J. Edson, da PRF, Leonardo foi preso por volta das 6h desta quarta-feira, quando chegava para trabalhar em um posto de combustíveis localizado às margens da AL-110, em Arapiraca.

Leonardo é caminhoneiro e trabalha como transportador de combustível para um posto de Arapiraca. Segundo o inspetor J. Edson, após ser preso, Leonardo confessou que furtava 20 litros de combustível de cada um dos quatro compartimentos do caminhão e vendia cada 20 litros a R$ 30 para o ‘Trambique do Ronaldo’, em São Miguel dos Campos. Os litros retirados dos compartimentos do caminhão eram completados com água.

O acusado ao chegar no Instituto Médico Legal Estácio de Lima não quis falar com a imprensa, mas – segundo o inspetor J. Edson – ele assumiu em depoimento que agia há cinco anos roubando combustível. Com a prisão do caminhoneiro Leonardo, apenas duas pessoas continuam foragidas.

A Operação Paracelso foi desencadeada na madrugada do dia 15 de julho em uma operação conjunta das Polícias Civil e Rodoviária Federal. Ao todo, foram expedidos 40 mandados de busca e apreensão e 32 de prisão temporária pela 17ª Vara de Combate ao Crime Organizado, a pedido do Ministério Público de Alagoas.

As investigações tiveram início um ano antes da operação e foram realizadas pela Divisão de Combate ao Crime da Polícia Rodoviária Federal, em Brasília. Mais de 200 homens estiveram envolvidos no cumprimento dos mandados. Especialmente em Alagoas, as investigações se iniciaram durante a Operação Menestrel desencadeada na cidade de Teotônio Vilela sob o comando de Mário Jorge Barros.