A PRF estuda soluções paliativas para reduzir os engarrafamentos no trecho não duplicado da BR-101, como o registrado no primeiro dia do ano.
A causa dos transtornos é a soma dos veículos que retornam das praias de Palhoça, na Grande Florianópolis, no fim de tarde dos finais de semana, com o fluxo proveniente do Sul do Estado e Rio Grande do Sul.
Passagem obrigatória para balneários disputados como a Praia do Sonho e a Enseada do Brito, a rodovia poderá ter as regras de trânsito modificadas a partir do próximo final de semana. Está sendo avaliada a transferência provisória do posto da Secretaria Estadual da Fazenda para o da PRF em Paulo Lopes.
Um dos empecilhos, no entanto, é a dimensão reduzida do pátio do posto da PRF. Segundo a Secretaria da Fazenda, um teste foi feito na passagem do ano, mas não evitou uma fila recorde de 40 quilômetros entre o Morro dos Cavalos e o início do trecho duplicado, na tarde do dia 1º.
Diariamente, chegam a circular pelo posto cerca de 2 mil caminhões. O entra-e-sai de veículos pesados na pista simples complica ainda mais o fluxo. No mesmo trecho da rodovia onde fica o posto, oito acessos secundários em apenas 19 quilômetros contribuem para agravar os engarrafamentos.
De acordo com a PRF, o fluxo diário de 12 mil veículos no trecho pode saltar, na temporada, para até 14 mil. A PRF avalia, ainda, a possibilidade de manter a BR-101 em sentido único (Sul-Norte) nos finais de semana, das 17h30min às 18h15min.
O trevo de acesso a Santo Amaro da Imperatriz, que separa o trecho simples do duplicado, também poderá sofrer modificações. A idéia é proibir que os veículos cruzem a rodovia. Para os motoristas que vão do bairro Aririú, em Palhoça, para a BR-282, a alternativa seria seguir alguns metros à frente e acessar a passagem sob a BR-101.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui