Cerca de 300 integrantes do MST bloquearam por toda a manhã de ontem as duas pistas da rodovia Belém-Brasília (BR-316), no nordeste do Pará, a 200km de Belém. Houve confronto entre os sem-terra, a Polícia Militar e motoristas, e pelo menos dez pessoas ficaram feridas. Foi o início da ação do MST para lembrar os oito anos do massacre de Eldorado do Carajás, quando 19 agricultores foram mortos pela PM, e também mais um episódio do chamado “abril vermelho”.

Em Conceição do Araguaia, a sede do Incra foi ocupada pelos agricultores. Cerca de 300 famílias iniciaram uma marcha em direção à “curva do S” em Carajás, onde os sem-terra foram mortos em 1996.

– Será a semana de luta pela reforma agrária, e as manifestações não cessarão enquanto o governo não agilizar a reforma — disse o líder do MST no Pará, Raimundo Nonato.

Erguendo cartazes com a foto do presidente Luiz Inácio Lula da Silva com o boné do MST, os manifestantes queimaram pneus e troncos para bloquear a estrada. Também usaram crianças para fazer uma barreira. Chamada para liberar o trânsito, a PM foi recebida com paus e pedras. O confronto só não foi maior porque havia ordem para que os policiais não disparassem contra os manifestantes.

A intenção dos sem-terra é caminhar até Belém. Na capital do Pará, eles pretendem fazer novas manifestações pela reforma agrária. A rodovia BR-316 só foi liberada no fim da tarde.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui