As constantes multas aplicadas naquele trecho foram a causa da manifestação

Motoristas de transportes alternativos interditaram na manhã de ontem a BR-101 Norte, Km 41, no município de Mamanguape. A manifestação teve o objetivo de protestar contra as inúmeras multas que, segundo eles, estão sendo aplicadas com freqüência pelos policiais rodoviários federais. O protesto começou por volta das 9h30, na altura do Rio Mamanguape, e só acabou próximo ao meio-dia. Com pneus e madeiras queimados, os manifestantes conseguiram fechar os dois sentidos da rodovia, provocando um engarrafamento de cerca de 3km em cada uma das vias.

São cerca de 120 motoristas do transporte alternativo que atuam na região, compreendendo os municípios de Mamanguape, Rio Tinto, Jacaraú, Mataraca, Itapororoca e Baía da Traição. Eles transportam passageiros de um município ao outro e para outras localidades.

Várias viaturas da Polícia Rodoviária Federal foram deslocadas para o local da manifestação. Além dos homens da PRF, também foram enviados policiais militares e uma guarnição do Corpo de Bombeiros para apagar o fogo e lavar a pista. Duas horas depois do início do protesto, os motoristas aceitaram a proposta de participar de uma reunião posterior com representantes da PRF e com o Comando da PM.

Segundo o presidente do Sindicato dos Condutores Au-tônomos de Transportes da Pa-raíba, Francisco das Chagas, o problema das multas só vem acontecendo no trecho de Mamanguape. “Isso é uma questão social. Nin-guém está roubando, mas trabalhando. Existem companheiros que foram multados até três vezes no mesmo dia. Se continuar assim, vamos fazer uma manifestação ainda maior, com a participação de motoristas de vários municípios do interior do Estado”, garantiu o sindicalista.

Waldenio Monteiro, que trabalha com transporte alternativo há pouco mais de um ano, disse que existem dos policiais rodoviários que afirmaram estar com uma lista de mais de 80 carros, com suas respectivas características. “Essas multas começaram a ser aplicadas segunda-feira passada. Eles dizem que todas as vezes que passarmos pela BR vamos ser multados porque é preciso garantir que a empresa de transporte que faz as linhas da região também rodem. Eu mesmo recebi três multas num único dia, cada uma no valor de R$ 127”, contou.

E MAIS

O inspetor da PRF, Antônio Nicolau de Oliveira, disse que os motoristas precisam encaminhar um documento por escrito sobre a acusação da existência de uma lista de veículos alternativos para serem multados. “Eles precisam provar. Mas, independente disso, vamos averiguar a situação e saber exatamente o que está acontecendo. O certo é que eles não têm licença para transportar passageiros. Inclusive, temos uma série de medidas judiciais determinando a apreensão dos veículos que fazem o transporte alternativo”, frisou.

Oito sindicalistas foram presos pela PF

Minutos depois que a rodovia foi liberada, agentes da Polícia Rodoviária Federal decidiram prender cerca de oito manifestantes, entre eles, o presidente do sindicato da categoria, Francisco das Chagas.

Todos foram levados para a sede da Polícia Federal, em João Pessoa, onde foram autuados no artigo 163, do Código Penal, que se refere a danos ao Patrimônio Público da União, que pode ter pena de seis meses de detenção a três anos.

A decisão do delegado da Polícia Federal, Marcos Cotrim, foi baseada na acusação dos patrulheiros de que os manifestantes teriam danificado parte da rodovia, onde fizeram várias crateras no asfalto com a ajuda de picaretas.

Autuados em flagrante pelo delegado de plantão, os sindicalistas teriam que pagar uma fiança de um salário mínimo para poderem ser liberados.

Até o final da tarde de ontem apenas o presidente do sindicato tinha a quantia estipulada para a fiança.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui