VOLTA REDONDA/BRASÍLIA – O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) sancionou recentemente a Lei 11.792, que dá nome o nome de Prefeito Nelson dos Santos Gonçalves a um trecho da Rodovia do Contorno. A lei foi sancionada dia 2 e publicada no Diário Oficial da União do dia 3. Artigo 1º diz que “fica denominado Rodovia Prefeito Nelson dos Santos Gonçalves o contorno da cidade de Volta Redonda que corresponde ao trecho de 12,54 km com início no quilômetro 282,9 da BR-393 e término no entroncamento com a BR-116. Via Dutra, situado no Estado do Rio de Janeiro”.

A homenagem foi feita ao pai do deputado estadual Nelson Gonçalves (PMDB) e foi proposta pelo deputado federal Leonardo Picciani (PMDB). Nelson diz que se sente muito feliz com a homenagem, porque seu pai foi quem idealizou o projeto da Rodovia do Contorno, que fazia parte de um projeto maior de anel rodoviário, englobando a Rodovia do Contorno, Avenida Beira-Rio, Elevado Presidente Castelo Branco, Viaduto Heitor Leite Franco e a Tancredo Neves – antiga Rodovia do Aço.

HISTÓRICO
Nelson dos Santos Gonçalves foi prefeito de Volta Redonda por dois mandatos. O primeiro, de 28 de março de 1960 até 10 de setembro de 1962. Depois, assumiu de fevereiro de 1973 a janeiro de 1977. Ele nasceu em 5 de novembro de 1926, em Marília, São Paulo, e se mudou com a família para o Rio de Janeiro, Niterói, aos 12 anos. Formado em medicina, mudou-se para Volta Redonda em 1954, onde clinicou no Hospital da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN).

Teve seu nome lançado para candidatura a vice-prefeito, cargo para o qual se elegeu no ano de 1958, com mais votos que o candidato a prefeito, César Cândido Lemos. Depois de mais de um ano, César sofreu processo de impedimento e foi cassado. Nelson assumiu a prefeitura.

Ao sair da prefeitura ficou como suplente de deputado estadual nas eleições de 1963, ficando longe da vida pública municipal por dez anos. Em 1972 voltou novamente para a prefeitura, conseguindo ser o mais votado. Foi nessa época que se inicou um grande plano de obras, como o Cais do Aterrado, o Elevado Presidente Castelo Branco, a Avenida Almirante Adalberto de Barros Nunes (Beira-Rio), o Viaduto Heitor Leite Franco, o primeiro Estádio General Sylvio Raulino de Oliveira e a Rodovia dos Metalúrgicos. Ajudou a fundar o Volta Redonda Futebol Clube. No mesmo ano se candidatou ao Senado Federal, mas retirou sua candidatura por falta de apoio e recursos. Em 1982 tentou novamente chegar ao cargo de deputado estadual, mas ficou com a suplência. Tentou em 1985 retornar para a prefeitura e também nao conseguiu. Aos 59 anos, em 1986, faleceu, vítima de enfarte.