O Departamento Nacional de Infra-estrutura de Transportes (Dnit) deve aumentar de 49 para 220 o número de balanças nas estradas brasileiras até 2008. Vinte serão reativadas até o final de dezembro, sendo quatro no Paraná.
A idéia é construir balanças mais modernas que, além da pesagem, sirvam para monitorar as estradas, ajudando no combate ao excesso de velocidade e a coibir roubos de cargas. O Dnit vai investir R$ 1,5 bilhão no Plano Diretor Nacional Estratégico de Pesagem.
Temos estudos para reativar três balanças na BR-116 em curto prazo. Uma delas tem aspectos físicos para resolver. As outras duas são aspectos técnicos , disse o supervisor de operações do Dnit no Paraná, Mário dos Santos. A quarta balança deve ser instalada no
KM 91 da rodovia.

Os outros três postos de pesagem que constam do estudo do Dnit-PR e que podem fazer parte do Plano são na BR-476, na BR-116, e na BR-153. Estas seriam as nossas indicações , afirmou Santos.

O Dnit não tem nenhuma balança em operação no Paraná atualmente. Dados do Departamento de Estradas de Rodagem (DER) do Paraná dão conta que o Estado tem dez balanças em funcionamento nas rodovias pedagiadas e uma fixa e uma móvel mantidas pelo DER-PR. Outros
24 postos móveis estão em fase de licitação pelo DER.

Santos ressaltou que o Plano de Pesagem prevê que as balanças tenham também função de monitoramento com câmeras para identificar veículos roubados e radares de velocidade. O supervisor acredita que se os postos de pesagem operarem com continuidade haverá redução
significativa no excesso de cargas porque as transportadoras começam a ser multadas. Quanto ao asfalto, Santos explicou que as rodovias são projetadas para durar dez anos, mas na situação atual têm duração de quatro anos.