A precariedade das rodovias gaúchas representa sérios transtornos aos usuários. As autoridades do setor, porém, estão empenhadas em buscar soluções. Na área federal, a expectativa é de que as obras de restauração e manutenção de 1,5 mil quilômetros comecem no final do primeiro semestre.

“Serão investidos R$ 150 milhões em 13 trechos”, revela o coordenador da 10a Unidade de Infra-Estrutura Terrestre (Unit/RS), Marcos Ledermann. Do total, R$ 110 milhões serão financiados pelo Bird, e o restante pela União.

A previsão é de que a pavimentação das estradas contempladas pelo Programa Integrado de Restauração (PIR IV) esteja concluída em até 180 dias após o início das obras. As empreiteiras selecionadas por licitação terão que assegurar a manutenção de pistas, acostamentos e sinalizações vertical e horizontal, e manter a limpeza das faixas de domínio. Ledermann descarta a cobrança de pedágio. A prioridade são as BRs 153, 158, 285, 290, 293 e 472. A duplicação da BR 101, entre Osório/Torres, é outro desafio. A obra deve começar em outubro, com investimentos de R$ 320 milhões.

Na esfera estadual, a deterioração atinge 45% das vias. O trecho Viamão/Sapucaia do Sul da RS 118 é apontado como o campeão. O alargamento da via começará este ano, garante o secretário dos Transportes, Jair Foscarini, que dispõe de R$ 1,5 milhão no orçamento 2004. Ele também prevê a recuperação de 1.000 quilômetros de RSs e a construção de 700 quilômetros de novas ligações.

Foscarini ainda negocia com o banco KFW (Alemanha), BNDES e uma estatal chinesa a liberação de recursos para a construção do anel viário para desafogar a BR 116. Na Rota do Sol, serão investidos R$ 100 milhões até 2006, com a conclusão de obras entre o arroio Limoeiro e Curumim, da variante ambiental, e construção de viaduto no cruzamento com a 101.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui