Eram 5h30 deste sábado, 11, quando a imagem de Nossa Senhora de Nazaré saiu da igreja matriz de Ananindeua, na Região Metropolitana de Belém (RMB), para a Romaria Rodoviária, que a conduziu até o distrito de Icoaraci, em Belém. O percurso de 24 quilômetros pelas rodovias BR-316 e Augusto Montenegro foi feito em pouco menos de três horas, com a participação de cerca de 20 mil veículos, entre carros de passeio, caminhões, motocicletas e até bicicletas.

A primeira dentre tantas homenagens foi feita pela Associação dos Servidores do Banco do Estado do Pará (Asbep), logo na saída da romaria, que saiu após missa celebrada na matriz.

As cenas – fogos de artifício soltos em profusão e pedaços de papel picado jogados para o alto – se repetiriam durante todo o trajeto. A reverência à padroeira era expressa por conjuntos residenciais, empresas e todos os milhares de fiéis que acordaram mais cedo para ver a imagem.

Família – Para a aposentada Maria Aparecida das Neves, 59, moradora do conjunto Panorama XXI, ver a imagem de Nossa Senhora passar na Augusto Montenegro é uma tradição de mais de 20 anos. “Antes, não havia tanta gente na rua nesse momento como se vê hoje. Isso demonstra que a devoção mariana cresce a cada ano”, acredita ela, que sempre vai acompanhada dos filhos.

A dona de casa Socorro Bastos, 55, também reúne a família para apreciar o momento em que a padroeira passa na frente de sua casa, no bairro Parque Verde. “Organizo todo ano essa homenagem. Colocamos nossa berlinda para fora, uma música para louvar e a emoção para agradecer por todas as graças que alcançamos” disse. “É um momento único de comunhão com todos, tudo graças a intercessão de nossa Mãe”, continuou.

Assim ficam a BR-316 e a Augusto Montenegro no sábado que antecede o Círio: tomadas por pessoas que acordam bem cedo para ver a Santa passar. Alguns saem da cama em cima da hora e aparecem apressados na rua; outros se preparam desde bem cedo, colocando balões e flores para homenagear a Virgem. “No dia da Romaria Rodoviária venho cedo para cá, para pegar o melhor lugar”, revelou o comerciante Camilo Souza, 36.

Chegada – Em Icoaraci, os fiéis começaram a se aglomerar ainda cedo na avenida Cristóvão Colombo, onde foi montado o palanque para a celebração da missa que antecede a romaria fluvial. A imagem da padroeira chegou ao distrito às 8h20 e foi conduzida pelo arcebispo metropolitano de Belém, dom Orani João Tempesta, no meio do povo. A missa, conduzida pelo arcebispo emérito, dom Vicente Zico, começara havia 15 minutos.

No palanque, autoridades esperavam a Santa, dentre elas a governadora Ana Júlia Carepa e o núncio apostólico do Vaticano, dom Lourenço Baudisseri, representante do Papa Bento XVI no Brasil. “O Círio é um momento em que fica clara a igualdade entre todos e o espírito de solidariedade que deve prevalecer. Nossa Senhora tem esse poder de revelar que todos temos direito de sermos felizes”, disse a governadora.

Mensagem – Dom Vicente Zico, emocionado, conclamou os fiéis a reverenciar a padroeira do Pará, que “atravessa todas as dificuldades para estar aqui e vir ao nosso encontro”. O momento, continuou o arcebispo, é de receber as bênçãos dos céus, distribuídas pela “Mãe e Rainha da Amazônia”. “Essa visita muito nos honra. O povo manifesta sua devoção e carinho, aqui e no mundo inteiro”, disse.

O núncio apostólico saudou os fiéis e disse que sua presença em Belém representa a participação do papa no Círio 2008. Dom Orani adiantou que, ainda durante essa festividade, dom Lourenço, que veio da Itália, apresentará uma mensagem especial de Bento XVI para o povo católico do Pará. “Essa manifestação de hoje reaviva nossa fé e devoção”, arrematou.

Às 9h15, dom Orani levou a imagem de Nossa Senhora de Nazaré até o trapiche de Icoaraci, para começar a Romaria Fluvial, mais uma das romarias que compõem a festividade do Círio.