Aumentaram em 360% os roubos de cargas nas estradas da Região entre janeiro e setembro de 2008 na comparação com igual período de 2007.

No ano passado, cinco crimes foram cometidos nas rodovias do Alto Tietê e, neste, as ocorrências, somente nos primeiros nove meses do ano, somaram 23 casos.

As informações são da Federação das Empresas de Transporte de Cargas do Estado de São Paulo (Fetcesp). Em novembro, O Diário publicou resultado parcial de uma pesquisa ainda em elaboração pela entidade, que apontou a Rodovia Mogi-Dutra (SP-88) com a 10ª posição em número de roubos de cargas entre as estradas estaduais e federais que cortam o território paulista. Com 17 casos em 2008, a Mogi-Dutra mereceu destaque no endereço eletrônico do sindicato patronal (www.fetcesp.com.br), já que existem cerca de 500 rodovias em São Paulo.

“O que podemos acrescentar àquela conversa que tivemos em novembro é que as autoridades precisam ficar atentas à Região de Mogi das Cruzes, onde os casos estão aumentando assustadoramente”, comentou o assessor de segurança do Sindicato, coronel Paulo Roberto de Souza.

Na Mogi-Dutra, em 2007, foram cinco casos contabilizados até dezembro. “Usamos os dados até setembro para uma comparação com 2008, cujas informações ainda estão sendo tabuladas, até porque o ano ainda não acabou. Mas, na Mogi-Dutra, por exemplo, houve em 2007 outros dois casos em novembro e mais dois em dezembro”, completou.

A SP-88 apareceu, no endereço eletrônico, ao lado de estradas como a Bandeirantes (SP-348), com 35 ocorrências, Raposo Tavares (SP-270), com 30, Dom Pedro I (SP-65), 31 casos, e Ayrton Senna (SP-70), com 33, entre outras vias pesquisadas.

Na entrevista concedida a O Diário em novembro, Souza havia dito que, antes do aumento deste tipo de crime, ele jamais tinha ouvido falar da Mogi-Dutra. “Se você me perguntasse sobre ela em 2007, eu não saberia responder porque os dados passaram despercebidos no ano passado. Jamais tinha ouvido falar desta estrada, mas, neste ano, ela sem dúvida chamou nossa atenção”, afirmou.

A Rodovia Mogi-Salesópolis também fica na linha denominada de SP-88. “Mas os casos estão todos concentrados no trecho entre a Dutra e Mogi das Cruzes. Não há nenhuma ocorrência, neste ano, na parte entre Biritiba Mirim, Salesópolis até a chegada à Rodovia dos Tamoios”, lembra.

A intenção de Souza é enviar os dados, depois de o ano terminar, à Polícia. As causas para os números ainda não foram levantadas, mas o profissional aponta duas hipóteses, que podem estar, ao mesmo tempo, contribuindo para as estatísticas. A primeira das teorias tem como base a filosofia da Polícia Militar, que concentra o efetivo na proporção dos casos oficialmente registrados. “É bem simples. A Mogi-Dutra não registrava dados relevantes até então. A Polícia deve ter descuidado e, os marginais, aproveitaram da situação. Os marginais nunca mudam de profissão. Eles mudam é de lugar”, alerta.

A segunda razão hipotética para o aumento de casos na Região seria o fato de as cargas oriundas da metalurgia serem uma das mais visadas pelos bandidos. Boa parte das indústrias do Alto Tietê é composta por empresas deste ramo. Na Mogi-Dutra, dos 17 casos, em nove os bandidos levaram itens produzidos pelo setor (veja quadro).

Entre janeiro e setembro deste ano, o segmento da metalurgia foi o segundo mais roubado em São Paulo, num total de R$ 27,6 milhões em prejuízos no período. Apenas os eletroeletrônicos, com R$ 38,2 milhões roubados neste ano, estão à frente da metalurgia na preferência dos ladrões em todo o Estado. As cargas que saem das metalúrgicas são mais alvo de assaltos do que as que deixam as indústrias farmacêuticas e alimentícias.

Entre janeiro e setembro deste ano, o prejuízo da metalurgia já é maior do que todos os meses de 2007, quando as empresas perderam em São Paulo R$ 20,1 milhões em cargas roubadas.

A pesquisa de Souza também está levantando informações sobre o índice de roubos de cargas nos territórios dos municípios. Por enquanto, Itaquaquecetuba é a campeã de casos, também entre janeiro e setembro deste ano, com 39 ocorrências, seguida por Suzano (21), Ferraz de Vasconcelos (18), Poá (8), Mogi das Cruzes (7), Arujá (5), Guararema (1) e Santa Isabel (1).

O 2º Pelotão da 4ª Companhia do 1º Batalhão de Policiamento Rodoviário informou a O Diário que realiza semanalmente blitze nas estradas da Região a fim de coibir a circulação de veículos roubados pelas vias do Alto Tietê.