Desde o início do ano sistema de luzes da SC-438 não recebe manutenção

A SC-438/Rodovia Irineu Bornhausen, que corta a Serra do Rio do Rastro e liga o Litoral Sul ao Planalto Serrano, está sem iluminação.

Inaugurada em 5 de fevereiro de 2002, a iluminação de um trecho de 12 quilômetros de extensão está sem conservação desde o início deste ano.

Das 210 lâmpadas, 55 não estão em condições de funcionamento. No topo da serra, 50 de um total de cem lâmpadas não acendem ao anoitecer.

Além das lâmpadas queimadas, algumas estão quebradas e perfuradas por projéteis. Alguns postes também estão danificados e necessitam de reparos.

O sargento da Polícia Rodoviária Estadual do posto da localidade de Guatá, Lúcio Afonso Schmöller, informou que envia relatórios sobre a situação da rodovia para a gerência regional do Departamento de Infra-Estrutura (Deinfra) de Criciúma.

Schmöller explica que a precariedade na iluminação não chegou a causar maiores transtornos na rodovia, como acidentes.

Porém, a escuridão prejudica as operações noturnas, realizadas para coibir o tráfico de drogas e encontrar foragidos da Justiça, entre outros objetivos.

O gerente regional de Obras do Deinfra, Lourival Pizzolo, informou que as Centrais Elétricas de Santa Catarina (Celesc) formalizaram um acordo com o Estado para transferir a responsabilidade da manutenção da iluminação da rodovia para a gerência regional da Celesc, em Lages.

De acordo com Pizzolo, a Celesc de Lages já está em fase de cotação (levantamento de preços) do material que será empregado na manutenção dos equipamentos, possivelmente a partir da próxima semana.

– A Celesc utiliza material padrão e não dispõe dessas lâmpadas usadas na Serra do Rio do Rastro, que são diferentes por não agredirem o ambiente – disse Pizzolo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Você digitou um endereço de e-mail incorreto!
Por favor, digite seu nome aqui